Mercado fechado

China mantém liderança mundial em supercomputadores

A China ostenta um número recorde de supercomputadores, chegando ao patamar mais alto do mundo e superando, uma vez mais, os Estados Unidos

A China ostenta um número recorde de supercomputadores, chegando ao patamar mais alto do mundo e superando, uma vez mais, os Estados Unidos, segundo um estudo de um site especializado.

O país asiático consolida, assim, sua posição de potência dominante no setor, alcançada no ano passado.

Ao todo, 202 dos 500 supercomputadores mais rápidos do mundo estão na China atualmente, de acordo com a classificação de referência TOP500. Os Estados Unidos têm 143.

A lista, publicada duas vezes ao ano, avalia as máquinas em função de sua rapidez em testes realizados por especialistas alemães e americanos.

"É o número mais alto de supercomputadores que a China já teve na classificação TOP500", indica o estudo, publicado nesta segunda, "a presença americana se reduz ao seu nível mais baixo desde a criação da lista".

Os supercomputadores são ferramentas muito úteis para a pesquisa científica: podem realizar cálculos extremamente rápidos em diversos campos, desde as previsões meteorológicas até a concepção de mísseis.

A China supera também os Estados Unidos em termos de potência bruta de seus supercomputadores. Os dois mais rápidos do mundo, o Sunway TaihuLight e o Tianhe-2 (Via Láctea-2), estão no gigante asiático.

Eles são seguidos de um dispositivo procedente da Suíça (3º) e outro do Japão (4º). O "Titã", primeiro supercomputador americano da lista, está em 5º lugar.