Mercado abrirá em 2 h 10 min
  • BOVESPA

    110.334,83
    +299,66 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.784,58
    +191,67 (+0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,59
    -0,05 (-0,08%)
     
  • OURO

    1.726,10
    +3,10 (+0,18%)
     
  • BTC-USD

    49.108,35
    +1.687,43 (+3,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    987,17
    +0,52 (+0,05%)
     
  • S&P500

    3.901,82
    +90,67 (+2,38%)
     
  • DOW JONES

    31.535,51
    +603,14 (+1,95%)
     
  • FTSE

    6.624,95
    +36,42 (+0,55%)
     
  • HANG SENG

    29.095,86
    -356,71 (-1,21%)
     
  • NIKKEI

    29.408,17
    -255,33 (-0,86%)
     
  • NASDAQ

    13.226,75
    -53,00 (-0,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7721
    -0,0235 (-0,35%)
     

China impõe sanções a Pompeo e outras 27 autoridades do governo Trump

Cate Cadell e Tony Munroe
·1 minuto de leitura
Ex-secretário de Estado dos EUA Mike Pompeo

Por Cate Cadell e Tony Munroe

PEQUIM (Reuters) - A China informou nesta quarta-feira que deseja cooperar com o novo governo do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ao mesmo tempo em que anunciou sanções contra o ex-secretário de Estado Mike Pompeo e 27 outras autoridades do governo do ex-presidente Donald Trump.

A ação foi um sinal da raiva da China, especialmente com a acusação feita por Pompeo em seu último dia no cargo de que a China havia cometido genocídio contra os muçulmanos uigures chineses -- uma afirmação que o escolhido de Biden para suceder Pompeo, Anthony Blinken, disse compartilhar.

Em um repúdio firme ao governo do ex-presidente Trump, o Ministério das Relações Exteriores chinês anunciou as sanções em um comunicado que apareceu em seu site no momento em que Biden tomava posse como presidente.

Pompeo e os outras autoridades do governo Trump sob sanção "planejaram, promoveram e executaram uma série de movimentos malucos, interferiram gravemente nos assuntos internos da China, minaram os interesses da China, ofenderam o povo chinês e perturbaram seriamente as relações China-EUA", disse o documento.

Entre os funcionários e ex-funcionários do governo Trump alvo de sanções estão o ex-chefe comercial Peter Navarro, os ex-conselheiros de segurança nacional Robert O'Brien e John Bolton, o ex-secretário de Saúde Alex Azar, a ex-embaixadora da ONU Kelly Craft e o ex-assessor de Trump Steve Bannon.