Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.632,92
    -168,08 (-0,14%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.134,93
    -60,47 (-0,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    69,08
    -0,01 (-0,01%)
     
  • OURO

    1.803,80
    -5,10 (-0,28%)
     
  • BTC-USD

    40.284,77
    +952,24 (+2,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    994,61
    +18,71 (+1,92%)
     
  • S&P500

    4.429,10
    +26,44 (+0,60%)
     
  • DOW JONES

    35.064,25
    +271,55 (+0,78%)
     
  • FTSE

    7.120,43
    -3,43 (-0,05%)
     
  • HANG SENG

    26.166,93
    -37,76 (-0,14%)
     
  • NIKKEI

    27.760,32
    +32,22 (+0,12%)
     
  • NASDAQ

    15.161,00
    -6,75 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2077
    -0,0005 (-0,01%)
     

China flexibiliza regulamentações ambientais para pequenas fazendas de porcos

·1 minuto de leitura
Criação de suínos em Fuyang, China

Por Emily Chow

XANGAI (Reuters) - A China não exigirá mais que pequenas fazendas de suínos obtenham a aprovação ambiental do governo antes de criar porcos, já que o país busca reconstruir seu rebanho após o surto de uma doença, afirmou o Ministério da Agricultura nesta segunda-feira.

A mudança, que reduzirá custos e a burocracia para os pequenos agricultores, ocorre no momento em que a China tenta atraí-los de volta à produção de suínos.

Um vírus mortal da peste suína africana dizimou cerca de metade do enorme rebanho de suínos do país durante 2018 e 2019 e atingiu os pequenos agricultores de maneira particularmente forte.

"Para projetos de criação de suínos com produção anual inferior a 5 mil porcos, o formulário de registro de impacto ambiental deve ser preenchido online, sem a necessidade de aprovação de avaliação de impacto ambiental", disse o Ministério de Agricultura em comunicado.

O maior produtor de suínos do mundo ainda depende fortemente dos pequenos produtores para produzir, porém o surto os deixou com grandes dívidas e eles estão hesitantes em reconstruir os estoques devido aos riscos contínuos de doenças e à falta de capital.

O Ministério da Agricultura alertou que a recuperação da produção de suínos na China ainda enfrenta incertezas e que o risco de surto de peste suína africana permanece "relativamente grande".

Embora a China tenha reconstruído rapidamente parte do estoque perdido, houve mais surtos neste ano no norte da China e na província de Sichuan no sudoeste, e mais cepas do vírus circulando.

(Reportagem de Emily Chow)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos