Mercado fechará em 6 h 8 min
  • BOVESPA

    112.396,48
    +2.146,75 (+1,95%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.025,42
    +197,29 (+0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,71
    +1,22 (+1,73%)
     
  • OURO

    1.776,90
    -1,30 (-0,07%)
     
  • BTC-USD

    42.218,57
    -1.062,17 (-2,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.053,56
    +13,08 (+1,26%)
     
  • S&P500

    4.373,96
    +19,77 (+0,45%)
     
  • DOW JONES

    34.136,98
    +217,14 (+0,64%)
     
  • FTSE

    7.072,94
    +91,96 (+1,32%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.035,75
    +11,75 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1967
    +0,0176 (+0,28%)
     

China faz ameaça relacionada a análise sobre origem do vírus

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A China ameaça retaliar os que questionam se o coronavírus vazou de seus laboratórios. O aviso vem dias antes de o governo dos EUA divulgar as conclusões de uma investigação do serviço de inteligência a respeito das origens da pandemia.

“Continuaremos a cooperar com organizações internacionais como a OMS em suas pesquisas e sua busca pelas origens”, disse Fu Cong, diretor-geral do Departamento de Controle de Armas do Ministério de Relações Exteriores. “Mas nós não aceitamos acusações infundadas que são politicamente motivadas. E quem quiser acusar a China sem fundamento deve se preparar para aceitar o contra-ataque da China.”

Agências de inteligência dos EUA estão concluindo uma análise sobre as origens do coronavírus, encomendada pelo presidente Joe Biden no final de maio. O pedido foi feito em resposta a questionamentos sobre a possibilidade de o coronavírus ter saído de laboratórios em Wuhan, deflagrando a pior pandemia em mais de um século.

A China negou diversas vezes que o vírus tenha vazado do Instituto de Virologia de Wuhan ou de qualquer outro laboratório do país e tem criticado a análise dos serviços de inteligência, argumentando que as agências dos EUA têm um histórico de conclusões erradas. A assessora de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, disse a repórteres na terça-feira que o relatório provavelmente precisaria passar por mais alguns dias de revisão antes que uma versão sem informações confidenciais seja divulgada ao público.

Fu afirmou que, se os EUA continuarem levantando questões sobre seus laboratórios, então devem permitir uma investigação dos laboratórios em um complexo militar no estado de Maryland e na Universidade da Carolina do Norte. O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, deveria fazer uma visita ao laboratório do Forte Detrick, em Maryland, segundo Fu.

O local “é conhecido como o centro das experiências mais sombrias do governo dos EUA”, disse Fu. “Preocupações graves são colocadas há muito tempo pela comunidade internacional, inclusive pelo público americano, sobre o Forte Detrick.”

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos