Mercado abrirá em 4 h 10 min
  • BOVESPA

    128.427,98
    -339,48 (-0,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.170,78
    +40,90 (+0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,50
    +0,42 (+0,57%)
     
  • OURO

    1.782,00
    -1,40 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    33.132,45
    -831,27 (-2,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    800,28
    -9,91 (-1,22%)
     
  • S&P500

    4.241,84
    -4,60 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    33.874,24
    -71,34 (-0,21%)
     
  • FTSE

    7.088,41
    +14,35 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    28.882,46
    +65,39 (+0,23%)
     
  • NIKKEI

    28.875,23
    +0,34 (+0,00%)
     
  • NASDAQ

    14.347,75
    +84,75 (+0,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9329
    +0,0044 (+0,07%)
     

China estuda apertar regras para listagens no exterior: Fontes

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Reguladores da China estudam regras mais rígidas para empresas que buscam listagem em Hong Kong ou no exterior, medida que poderia atingir o setor de tecnologia há meses sob pressão do governo, segundo pessoas a par do assunto.

A Comissão Reguladora de Valores Mobiliários da China avalia propostas segundo as quais empresas que com planos de ofertas públicas iniciais fora da China continental devem enviar documentos sobre a listagem para garantir que estão em conformidade com as leis e regulamentações locais, disseram as pessoas. O escrutínio também busca evitar vazamentos de dados sensíveis que possam ser de interesse de segurança nacional, acrescentaram as pessoas, que não quiseram ser identificadas. As discussões são preliminares e ainda sujeitas a alterações.

Ao ser consultada se tais mudanças estavam em estudo, a agência emitiu uma breve nota negando a informação, sem dar mais detalhes.

Enquanto isso, o governo americano aumenta as restrições a empresas chinesas listadas em bolsas dos Estados Unidos, com legislação que exige que as companhias permitam que inspetores revisem as auditorias financeiras. A China tem vetado a permissão para que o Conselho de Supervisão da Contabilidade de Empresas de Capital Aberto dos EUA examine auditorias de empresas cujas ações são negociadas no mercado americano, alegando interesses de segurança nacional.

As medidas, se implementadas, podem ter implicações de longo alcance para uma série de novatas prestes a abrir o capital. Entre elas está a Bytedance, que teria planos de abrir o capital de algumas de suas unidades na China, e a gigante de aplicativo de transporte Didi Chuxing, pessoas disseram anteriormente. As mudanças também podem atingir empresas chinesas que já são negociadas em mercados estrangeiros, o que as obrigaria a submeter documentos também aos reguladores, disse uma das pessoas.

As regras atuais da China exigem que todas as empresas registradas localmente e algumas firmas com registros offshore busquem a aprovação da agência reguladora quando forem listadas em Hong Kong ou fora do país. No entanto, muitas gigantes da Internet como Tencent e Alibaba, registradas em lugares como Ilhas Cayman ou Ilhas Virgens Britânicas, estão fora do escopo dos regulamentos atuais. As novas regras estabeleceriam diretrizes de divulgação mais específicas e padronizadas entre as empresas, disse uma das pessoas.

Não está claro o impacto das novas regras sobre empresas que operam a chamada Entidade de Participação Variável - um veículo pelo qual praticamente todas as grandes empresas chinesas de Internet atraem investimentos estrangeiros e fazem listagens no exterior.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos