Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    34.371,28
    +652,96 (+1,94%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

China está determinada a cortar produção de aço, dizem analistas

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A indústria siderúrgica da China corre risco de significativa “retração da oferta guiada por políticas” no segundo semestre, já que o governo chinês leva a sério o objetivo de reduzir a produção para cumprir suas metas de carbono, segundo a consultoria Mysteel.

A China havia estipulado que a produção de aço no ano passado, que superou 1 bilhão de toneladas, seria um teto para o setor que contribui com mais de 15% das emissões do país. Mas essa meta está em risco, pois a produção nos primeiros cinco meses totalizou 473 milhões de toneladas impulsionada pelos preços recordes, o que incentivou usinas a produzir ainda mais metal.

Com isso, a China, maior produtora de aço do mundo, precisa cortar a produção em mais de 50 milhões de toneladas nos últimos seis meses, segundo o relatório mensal mais recente da empresa de pesquisa com sede em Xangai.

O risco é que os preços do aço, que desaceleraram desde o pico de maio, voltem a subir e ameacem o esforço do governo chinês para frear os preços das commodities. Ainda assim, é provável que o país precise de menos aço no segundo semestre devido à típica queda da atividade de construção durante o verão na China. A retirada gradual das medidas de estímulo da pandemia, que ajudaram a elevar a demanda, também deve pesar.

Anhui, uma das províncias de menor produção, recebeu ordem do governo central para reduzir o volume produzido, de acordo com Mysteel, uma solicitação que também deve ter sido encaminhada para polos de aço maiores. O governo da província de Anhui não estava disponível para comentários. Em nota, o Citigroup disse que mais regiões podem seguir os mesmos passos com as metas de produção, o que ajudará as margens das siderúrgicas.

A Mysteel estima leve queda da produção nacional em junho na comparação anual. A produção em julho deve cair ainda mais, com queda de até 10 milhões de toneladas devido às medidas do governo de Pequim para reduzir as emissões, segundo a empresa de pesquisa. Autoridades do governo começaram a visitar siderúrgicas do país no mês passado, em um esforço conjunto para garantir que a capacidade desatualizada tenha sido eliminada.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos