Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.215,07
    +43,38 (+0,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

China deixa sua "marca" em Marte

·1 minuto de leitura
O robô Zhurong pousou em Marte em maio

Uma pegada para a eternidade, uma "selfie" histórica com a bandeira chinesa ao fundo. As fotografias enviadas pelo robô Zhurong a partir de Marte encheram de orgulho a agência espacial do país de maior população do mundo.

Zhurong, um robô cujos painéis solares acionados como asas dão um ar de avião, fotografou a si mesmo ao lado de sua plataforma de pouso, graças a outra câmera removível.

Na plataforma de pouso estava uma bandeira da China.

O robô chinês, que pesa 240 quilos, chegou a Marte em meados de maio, após uma viagem de quase um ano. Zhurong, o deus do fogo, segundo a mitologia chinesa, também fez fotografias das marcas de suas seis rodas no solo de Marte.

"A pegada da China", segundo a agência espacial.

O robô vai estudar o solo e a atmosfera do planeta vermelho em uma missão de três meses.

A viagem do Zhurong é uma proeza para China, que se tornou o segundo país do mundo a alcançar a façanha, depois que o robô Perseverance, dos Estados Unidos, chegou em fevereiro a Marte.

tjx/bar/sbr/cac/bl/es/fp