Mercado fechado

China corta taxa de empréstimo pela 1º vez desde 2016 e busca acalmar mercados

Por Andrew Galbraith

Por Andrew Galbraith

XANGAI (Reuters) - O banco central da China cortou a taxa de juros sobre seu instrumento de empréstimo de médio prazo de um ano nesta terça-feira pela primeira vez desde o início de 2016, conforme as autoridades trabalham para impulsionar a economia em meio à demanda mais fraca tanto interna quanto externa.

Analistas dizem que o corte, embora modesto, pode ser um sinal de que o banco central está se tornando mais proativo e buscando aliviar as preocupações dos investidores de que a inflação mais alta o impedirá de adotar novas medidas de estímulo.

O Banco do Povo da China informou que vai reduzir a taxa sobre o instrumento de empréstimo de médio prazo de um ano (MLF) a instituições financeiras em 5 pontos básicos, para 3,25%, de 3,30% antes.

A medida pode abrir caminho para uma redução na nova Taxa Primária de Empréstimo referencial em algumas semanas. Ela é ligada ao MLF e publicada no dia 20 de cada mês.

Hao Zhou, economista de mercados emergentes do Commerzbank, disse que o corte, embora pequeno, envia a mensagem de que o banco central não quer que o mercado duvide de sua disposição para sustentar o crescimento.