Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,44 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,75 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,74
    -1,49 (-1,83%)
     
  • OURO

    1.668,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.389,68
    -79,96 (-0,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,10 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,96 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,84 (-1,83%)
     
  • NASDAQ

    11.058,25
    -170,00 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3079
    +0,0099 (+0,19%)
     

China compra soja argentina barata em ameaça para vendas dos EUA

(Bloomberg) -- A China, maior importador mundial de soja, aumentou maciçamente suas compras da Argentina depois que o país sul-americano desvalorizou o câmbio para os exportadores do setor.

A China reservou até 3 milhões de toneladas de soja nas últimas duas semanas, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto, que pediram para não serem identificadas. É quase equivalente aos cerca de 3,75 milhões de toneladas que o país importou da Argentina durante todo o ano passado, e corre o risco de prejudicar a demanda pela safra dos EUA, bem no momento em que os produtores americanos começam a colheita.

No início deste mês, o governo argentino desvalorizou temporariamente o peso para o setor de soja para aumentar as receitas das exportações quando convertidas para a moeda local. Isso desencadeou um fluxo de suprimentos a preços baixos no mercado global à medida que os agricultores se apressaram para vender seus estoques.

Mas o banco central argentino disse na segunda-feira que apertou os controles cambiais para os exportadores de soja, o que pode desacelerar o ritmo frenético das vendas durante o resto do mês.

O custo de importação da soja argentina para entrega em outubro ficou cerca de 200 yuans (US$ 28) a tonelada mais barato do que os carregamentos dos EUA e do Brasil por causa da mudança na política cambial, disse uma unidade da corretora chinesa COFCO Futures em nota. Isso torna o processamento da soja argentina mais lucrativo na China.

O Departamento de Agricultura dos EUA na semana passada cortou a estimativa para a produção americana em mais de 4 milhões de toneladas, levando os futuros em Chicago a disparar.

As compras são principalmente para carregamento nos próximos meses, disseram as fontes. Os processadores chineses esmagam soja para produzir farelo, principalmente para alimentar o enorme rebanho de suínos do país. Os preços domésticos do farelo de soja saltaram cerca de 10% no mês passado.

A onda de compras garantirá que a China esteja bem abastecida para os próximos meses durante um período forte para o consumo de carne suína.

A China deve comprar mais da Argentina se a política cambial continuar favorável, disseram as pessoas.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.