Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    58.669,61
    +1.430,07 (+2,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

China busca frear exportações de aço com maiores impostos

Bloomberg News
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A China aumentou os impostos para exportadores de uma série de produtos de aço na tentativa de limitar a produção e despoluir um dos setores que mais emitem carbono.

O governo vai eliminar descontos nas tarifas de exportação de alguns produtos, e os impostos de alguns produtos serão elevados a partir de 1º de maio, segundo informações publicadas no site do Ministério das Finanças.

As tarifas de importação de ferro-gusa, semiacabados e sucata de aço serão reduzidas. As medidas destacam um maior foco no mercado doméstico e chegam quando as siderúrgicas do país enfrentam custos das matérias-primas em máximas históricas.

A China produz metade do aço mundial e é a maior exportadora, mas prometeu reduzir a produção em 2021 como parte de um esforço para limitar as emissões de carbono de uma de suas indústrias mais poluentes. As mudanças tributárias podem interferir no comércio global de aço e apertar os mercados em meio à expansão mundial.

Embora as mudanças tributárias possam esfriar um pouco os preços domésticos, investidores “permanecem muito confiantes” sobre a oferta limitada no mercado de aço chinês, disse por telefone Lin Lin, analista do CRU Group. Os volumes cobertos por essas mudanças tributárias são baixos em comparação com a enorme produção doméstica da China.

A expansão global da demanda por aço fez com que os preços da China para a América do Norte subissem para os maiores níveis dos últimos anos, ameaçando enfraquecer a pressão do governo de Pequim por uma produção mais baixa. Embora essa iniciativa tenha se concentrado em uma série de restrições à produção, incluindo o polo de Tangshan, as usinas têm aumentado a oferta em meio a grandes lucros e preocupações de que mais restrições estão por vir.

O aumento na produção de aço também impulsionou o minério de ferro para perto de um recorde. As mudanças tributárias irão “reduzir os custos de importação, expandir a importação de recursos siderúrgicos e apoiar a redução da produção doméstica de aço bruto”, disse o ministério.

O aço acompanha o rali de outras commodities industriais importantes, aumentando a preocupação sobre a inflação enquanto a China tenta manter a economia nos trilhos. O país sinalizou planos para fortalecer os controles no mercado de matérias-primas para ajudar a limitar os custos das empresas.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.