Mercado abrirá em 1 h 11 min
  • BOVESPA

    110.672,76
    -3.755,42 (-3,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.402,73
    -283,30 (-0,54%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,04
    -0,92 (-1,11%)
     
  • OURO

    1.779,10
    +8,60 (+0,49%)
     
  • BTC-USD

    63.898,06
    +1.725,62 (+2,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.481,77
    +18,41 (+1,26%)
     
  • S&P500

    4.519,63
    +33,17 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    35.457,31
    +198,70 (+0,56%)
     
  • FTSE

    7.220,24
    +2,71 (+0,04%)
     
  • HANG SENG

    26.136,02
    +348,81 (+1,35%)
     
  • NIKKEI

    29.255,55
    +40,03 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    15.400,50
    +2,00 (+0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5069
    +0,0107 (+0,16%)
     

China: bancos devem estabilizarem mercado imobiliário por risco da Evergrande

·1 minuto de leitura
Sede da Evergrande em Hong Kong, em 15 de setembro de 2021 (AFP/Peter PARKS)

A China pediu aos bancos que estabilizem o mercado imobiliário e evitem a especulação, em meio a temores de que a dívida do consórcio Evergrande afete todo setor.

Com mais de US$ 300 bilhões em dívidas que vem tentando saldar, a incorporadora imobiliária Evergrande corre o risco de um colapso que ameaça a economia nacional e mundial.

Em uma reunião na quarta-feira (29), o Banco Popular da China (Banco Central) disse que o setor financeiro do país deve cumprir as metas de "estabilizar os preços de terrenos e moradias" e "insistir em não usar os imóveis como estímulo econômico de curto prazo", segundo um comunicado publicado na Internet.

O comunicado da reunião com a comissão reguladora de bancos e seguros não citou especificamente a Evergrande, empresa que tem sua sede na cidade de Shenzhen (sul).

O texto envia, no entanto, um sinal claro de que as autoridades temem o impacto e as consequências da crise da Evergrande no setor imobiliário chinês, sujeito a restrições cada vez mais rígidas para evitar especulações.

Até então, Pequim vem se negando a ajudar o conglomerado e, segundo a imprensa chinesa, o governo local de Shenzhen abriu uma investigação do braço de investimentos de Evergrande.

Para cumprir o pagamento de suas obrigações, a Evergrande começou a liquidar ativos, incluindo a venda de uma participação de US$ 1,5 bilhão em um banco regional chinês para uma empresa estatal.

Também chegou a um acordo, na semana passada, para pagar os juros de um título em yuans, a moeda chinesa.

lxc/rox/dva/mtp/mas/erl/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos