Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.782,15
    -194,55 (-0,18%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.081,33
    -587,31 (-1,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,51
    -0,73 (-0,95%)
     
  • OURO

    1.739,90
    -0,40 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    16.185,35
    -278,74 (-1,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    379,53
    -0,76 (-0,20%)
     
  • S&P500

    3.963,94
    -62,18 (-1,54%)
     
  • DOW JONES

    33.849,46
    -497,57 (-1,45%)
     
  • FTSE

    7.474,02
    -12,65 (-0,17%)
     
  • HANG SENG

    17.297,94
    -275,64 (-1,57%)
     
  • NIKKEI

    27.957,34
    -205,49 (-0,73%)
     
  • NASDAQ

    11.628,25
    +12,00 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5456
    -0,0036 (-0,06%)
     

China avisa que quem apostar contra yuan perderá no longo prazo

(Bloomberg) -- O banco central da China intensificou sua defesa do yuan com palavras fortes de alerta contra especuladores, depois que a moeda caiu para o nível mais fraco em relação ao dólar desde 2008.

“Não faça apostas unilaterais na valorização ou desvalorização do yuan, pois as perdas certamente ocorrerão no longo prazo”, disse o Banco Popular da China em comunicado na quarta-feira. Os principais participantes do mercado devem “proteger voluntariamente a estabilidade do mercado e ser firmes quando precisarem atenuar grandes altas ou quedas na taxa de câmbio”.

O banco central acrescentou que tem “bastante experiência” em evitar choques externos e orientar efetivamente as expectativas do mercado. A declaração se referia a apostas especulativas de empresas e violações de políticas de instituições financeiras.

O alerta do BC chinês seguiu uma teleconferência realizada pelo Órgão Auto-Regulador do Mercado de Câmbio da China — composto pelos bancos mais poderosos do país, responsáveis pelas cotações da taxa de câmbio de referência. Ela foi realizada na terça-feira, e contou com a presença do vice-governador do Banco Popular da China, Liu Guoqiang, de acordo com o comunicado.

“A declaração faz parte dos esforços das autoridades para estabilizar o humor”, disse Christopher Wong, estrategista de câmbio da Oversea-Chinese Banking Corp. em Singapura. “Os bancos provavelmente obedecerão e respeitarão a diretiva.”

O yuan caiu mais de 4% em relação ao dólar este mês e está a caminho da pior perda anual desde 1994. Na quarta-feira, a moeda afundou para o nível mais fraco desde o início de 2008 no mercado interno, e para uma mínima recorde no mercado externo.

A moeda está sob pressão, pois a política monetária do país diverge da dos EUA, gerando saídas. Enquanto o Federal Reserve mantém uma postura hawkish em seus esforços para conter a inflação, Pequim mantém uma política flexível em meio à queda na demanda e ao impacto das restrições contra Covid.

Outros países, incluindo Japão, Coreia do Sul e Índia, também intensificam suas defesas cambiais, com poucos sinais de que a força do dólar vai se atenuar.

O dólar pode ter ganhos adicionais, já que os EUA parecem despreocupados com a valorização da moeda, disse Rajeev De Mello, gestor global de portfólio da GAMA Asset Management em Genebra.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.