Mercado abrirá em 1 h 47 min
  • BOVESPA

    122.937,87
    +1.057,05 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.371,98
    +152,72 (+0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,56
    +0,29 (+0,44%)
     
  • OURO

    1.868,60
    +1,00 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    45.263,02
    +515,15 (+1,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.259,80
    +61,88 (+5,17%)
     
  • S&P500

    4.163,29
    -10,56 (-0,25%)
     
  • DOW JONES

    34.327,79
    -54,34 (-0,16%)
     
  • FTSE

    7.067,64
    +34,79 (+0,49%)
     
  • HANG SENG

    28.593,81
    +399,72 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    28.406,84
    +582,01 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    13.394,75
    +91,25 (+0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4398
    +0,0299 (+0,47%)
     

China avalia transferir participação em gestora de dívida podre

Bloomberg News
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O Ministério das Finanças da China estuda transferir sua participação na China Huarong Asset Management para uma unidade do fundo soberano do país que investe em empresas financeiras, segundo uma pessoa a par do assunto.

Uma razão para transferir a fatia para a Central Huijin Investment é que a unidade tem mais experiência em resolver riscos de dívidas, disse a pessoa, que pediu para não ser identificada. As discussões sobre a transferência acontecem em meio à preocupação de investidores com a saúde financeira da China Huarong, o que derrubou os títulos em dólar da gestora para níveis recordes neste mês, disse a fonte.

Tal transferência foi discutida anteriormente com o objetivo de simplificar a supervisão da China Huarong e de outras gestoras de dívida podre e não representaria uma mudança no nível de apoio do governo para a empresa, disse outra pessoa que não participou das conversas mais recentes.

Não está claro se os líderes chineses discutiram o destino dos detentores de títulos da China Huarong ou definiram medidas específicas que a Huijin tomaria se assumir o controle da participação da China Huarong. O Ministério das Finanças pretende concluir a transferência nos próximos meses, embora qualquer decisão final exija a aprovação do Conselho de Estado da China, disse uma das pessoas.

Embora a Huijin seja uma unidade do fundo soberano China Investment Corp. (CIC), suas decisões de investimento são supervisionadas pelo Conselho de Estado, assim como as indicações para a diretoria. A Huijin detém as participações do governo em alguns dos maiores bancos e corretoras do país. Em 2019, a empresa injetou 60 bilhões de yuans (US$ 9,2 bilhões) no problemático Hengfeng Bank Co., expandindo seu portfólio para 18 instituições financeiras, de acordo com o relatório anual de 2019 do CIC.

O Ministério das Finanças da China e o CIC não responderam de imediato a pedidos de comentário.

Em resposta por e-mail a perguntas da Bloomberg, a Huarong disse que tem “liquidez adequada” e planeja anunciar a data esperada de divulgação dos resultados de 2020 após consulta com auditores. A não divulgação do balanço da Huarong contribuiu para a onda vendedora dos títulos da gestora neste mês.

A dívida em dólar da empresa registrou ligeira alta depois que a Bloomberg informou sobre a possível transferência de participação. Alguns títulos subiram cerca de 2 centavos por dólar, embora ainda estivessem perto de mínimas históricas. Os preços despencaram mais cedo na terça-feira, após traders circularem um comentário do grupo de mídia Caixin que discutia vários cenários para a gestora, que incluíam pedido de recuperação judicial.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.