Mercado fechado

China aumentará apoio direcionado à economia, diz gabinete segundo mídia estatal

Restaurante em Pequim

PEQUIM (Reuters) - A China intensificará o suporte das políticas fiscal e monetária à economia de forma direcionada, disse o gabinete do país nesta sexta-feira segundo a mídia estatal, levantando expectativas de que mais medidas modestas de afrouxamento podem ser apresentadas.

Os principais indicadores de atividade da China mostraram que a economia desacelerou inesperadamente em julho, aumentando a pressão sobre as autoridades para lidarem com questões como ressurgimento de casos locais de Covid-19 e a desaceleração da economia global.

A China consolidará sua recuperação econômica e manterá as operações econômicas dentro de um intervalo razoável, disse o gabinete após reunião regular, segundo a mídia estatal.

"No momento, a economia continua a recuperar a tendência de desenvolvimento, mas ainda há pequenas flutuações", disse o gabinete.

"É necessário fortalecer as políticas financeira e monetária direcionadas para sustentar a economia real, consolidar a fundação da recuperação econômica e manter a operação econômica dentro de faixa razoável", completou.

Fontes e analistas disseram à Reuters que o banco central chinês deve adotar mais medidas de afrouxamento, embora tenha espaço limitado de manobra devido a temores com o aumento da inflação e a fuga de capital.

A expectativa é de que a China reduza suas taxas referenciais de empréstimo na segunda-feira, segundo pesquisa da Reuters.

O país irá melhorar seu regime de taxa de juros com base no mercado e dará suporte a uma retomada da demanda por crédito efetivo, disse o gabinete, acrescentando que as autoridades reduzirão os custos de financiamento para empresas e os custos de crédito a consumidores.

(Por Kevin Yao)