Mercado fechará em 45 mins
  • BOVESPA

    117.393,33
    +1.163,21 (+1,00%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.668,37
    -378,21 (-0,82%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,81
    +1,29 (+1,49%)
     
  • OURO

    1.726,70
    -3,80 (-0,22%)
     
  • BTC-USD

    20.230,89
    +154,14 (+0,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    458,79
    +0,38 (+0,08%)
     
  • S&P500

    3.801,25
    +10,32 (+0,27%)
     
  • DOW JONES

    30.417,05
    +100,73 (+0,33%)
     
  • FTSE

    7.052,62
    -33,84 (-0,48%)
     
  • HANG SENG

    18.087,97
    +1.008,46 (+5,90%)
     
  • NIKKEI

    27.120,53
    +128,32 (+0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.671,75
    +31,00 (+0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1148
    -0,0531 (-1,03%)
     

China aprova vacina nasal contra covid-19

A China acaba de se tornar o primeiro país a aprovar uma vacina inalável contra covid-19 (também chamada de vacina nasal), diferente de tudo o que está em vigor atualmente no combate à doença que marcou os últimos anos. O imunizante em questão é produzido pela farmacêutica CanSino.

Na prática, essa vacina inalável é parecida com a injetável, uma vez que utiliza um adenovírus inofensivo como portador do código genético que ensina o corpo a combater a covid-19. O imunizante ganhou o nome comercial de Convidecia Air, e os testes científicos já sugeriram uma eficácia satisfatória após a aplicação nasal.

“A aprovação terá um impacto positivo no desempenho da empresa se a vacina for posteriormente comprada e usada por agências governamentais relevantes”, afirma a própria CanSino, em nota oficial divulgada à agência de notícias Reuters.

A empresa alertou, no entanto, que enfrentará concorrência acirrada de outras vacinas na China que também obtiveram aprovação do governo ou estão em testes clínicos.

China aprova vacina nasal contra covid-19; imunizante é fabricado pela farmacêutica CanSino (Imagem: FabrikaPhoto/Envato)
China aprova vacina nasal contra covid-19; imunizante é fabricado pela farmacêutica CanSino (Imagem: FabrikaPhoto/Envato)

Tal como o caso da farmacêutica CanSino, a Administração Nacional de Produtos Médicos da China concedeu autorização de uso emergencial para a vacina anticovid da farmacêutica Livzon, também como dose reforço.

Segundo os cientistas, a vacina inalável contra covid-19 pode ter vantagens, considerando que imuniza contra o vírus tanto de forma sistêmica (ou seja, em todo o organismo) mas também de conseguir chegar até o pulmão, algo que a vacina comum, intramuscular, não consegue fazer com tanta eficiência.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: