Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.264,96
    +859,61 (+0,67%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.315,69
    -3,88 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,42
    -0,24 (-0,33%)
     
  • OURO

    1.784,90
    +2,00 (+0,11%)
     
  • BTC-USD

    31.465,43
    -4.128,66 (-11,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    762,93
    -87,41 (-10,28%)
     
  • S&P500

    4.224,79
    +58,34 (+1,40%)
     
  • DOW JONES

    33.876,97
    +586,89 (+1,76%)
     
  • FTSE

    7.062,29
    +44,82 (+0,64%)
     
  • HANG SENG

    28.489,00
    -312,27 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.010,93
    -953,15 (-3,29%)
     
  • NASDAQ

    14.129,25
    -0,75 (-0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9726
    -0,0635 (-1,05%)
     

China aponta que TikTok e Kwai violam leis de privacidade de dados

·1 minuto de leitura
China aponta que TikTok e Kwai violam leis de privacidade de dados
China aponta que TikTok e Kwai violam leis de privacidade de dados

A Administração do Ciberespaço da China (CAC, na sigla em inglês), apontou que mais de 105 aplicativos estão coletando e utilizando de maneira ilegal dados pessoais de usuários do país. Na lista de apps que infringem a lei de privacidade de dados chinesa, é possível citar o LinkedIn, o Douyin (versão chinesa do TikTok) e o Kuaishow (aplicativo chinês originário do Kwai).

De acordo com o South China Morning Post, o órgão de controle da internet na China definiu um prazo de até 15 dias úteis para que os aplicativos solucionem os problemas apontados. O CAC já havia avisado anteriormente diversos aplicativos que estavam em desacordo com as novas regulamentações do Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação que entrou em vigor no dia 1 de maio deste ano.

Bandeiras da China
China aponta que TikTok e Kwai violam leis de privacidade de dados. Imagem: Shutterstock

Os novos regulamentos responsabilizam os provedores de aplicativo por coletar os chamados “dados de usuários excessivos” que não possuem relação com os principais serviços oferecidos e que obrigam os usuários a autorizarem o compartilhamento sem deixar claro qual a finalidade.

Leia também!

No ano passado, o governo da China instaurou a Lei de Proteção de Informações Pessoais, que estabelece multas de até US$ 7,7 milhões (cerca de R$ 40,5 milhões na conversão atual), ou cerca de 5% da receita anual da empresa. O intuito do governo é trazer maior proteção e acabar com as violações de privacidade pessoal no maior mercado de internet do mundo.

Os novos regulamentos da China sobre a privacidade dos dados na internet móvel abrangem 39 categorias de aplicativos, incluindo, e-commerce, pagamentos, vídeos curtos, transmissão ao vivo, jogos móveis, mensageiros e diversos outros.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos