Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.515,47
    -24,18 (-0,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,80
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

China anuncia maior número de novas infecções por covid-19 em seis meses

No último domingo (6), a China registrou o maior número de novas infecções (4.420) por covid-19 dos últimos seis meses. Anteriormente, o país já tinha submetido algumas cidades a um novo lockdown, como Guangzhou, Wuhan, Xining e Pequim.

Conforme revelado pela própria Comissão Nacional de Saúde, o número supera a marca atingida no dia 6 de maio, com 3.659 novos casos. Os 4.420 novos casos podem ser considerados baixos para os padrões globais, mas para um país movido por uma abordagem de "zero covid", é preocupante.

Em uma entrevista coletiva no sábado, as autoridades de saúde chinesas reiteraram seu compromisso com as medidas anti-covid, consideradas "completamente corretas, bem como as mais econômicas e eficazes".

De acordo com o oficial de controle de doenças Hu Xiang, o país em questão deve "aderir ao princípio de colocar as pessoas e as vidas em primeiro lugar, e a estratégia mais ampla de impedir as importações externas e internas."

Novos casos de covid-19 na China

China anuncia maior número de novas infecções por covid-19 em seis meses (Imagem: tang/rawpixel)
China anuncia maior número de novas infecções por covid-19 em seis meses (Imagem: tang/rawpixel)

A cidade de Guangzhou, no sul, continuou a relatar infecções crescentes, com 66 novos casos sintomáticos transmitidos localmente e 1.259 casos assintomáticos, em comparação com 111 casos sintomáticos e 635 assintomáticos um dia antes.

Enquanto isso, Pequim, registrou 43 casos sintomáticos e seis assintomáticos, em comparação com 37 casos sintomáticos e cinco assintomáticos no dia anterior.

A política de tolerância zero à covid-19 já chegou a ser alvo de críticas. No entanto, a principal justificativa é o baixo número de mortes relacionadas à doença: oficialmente, o país mais populoso do mundo confirma menos de 6 mil mortes pelo vírus.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: