China não anima Bovespa, mas viés é positivo

Nem a China empolga a Bovespa nesta sexta-feira. Apesar de o gigante emergente ter registrado no último trimestre de 2012 a primeira aceleração do Produto Interno Bruto (PIB) em dois anos, os mercados internacionais não mostram tração e voltam a oscilar entre margens estreitas. Até mesmo as commodities não estão embaladas pelos números chineses. Mesmo assim, a tendência é de um ligeiro viés positivo para os negócios locais, acumulando ganhos nesta semana, após a realização de lucros verificada no período anterior. Às 10h23, o Ibovespa tinha leve alta de 0,02%, aos 62.205,70 pontos.

Para o gerente de renda variável do Modal Asset, Eduardo Roche, os dados econômicos chineses não animam os negócios com risco simplesmente porque confirmam a expectativa já existente entre os investidores de que o país asiático não se deslocava para um pouso forçado, e sim para uma estabilidade da atividade, pavimentando o caminho para uma recuperação em 2013. E foi o que, de fato, os indicadores conhecidos mostraram nesta sexta.

O PIB chinês cresceu 7,9% no quarto trimestre de 2012, na comparação com igual período de 2011, superando a previsão de alta de 7,8% para o período e acelerando-se da expansão de 7,4% verificada no trimestre anterior, na mesma base de comparação. Foi a primeira vez desde o quarto trimestre de 2010 que a China mostrou expansão trimestral na comparação anual, após dois anos consecutivos de desaceleração.

No acumulado de todo o ano passado, o PIB chinês cresceu 7,8%, acima da previsão de analistas (+7,7%) e também da estimativa oficial do governo de Pequim, de +7,5%. Os dados chineses de dezembro da produção industrial e das vendas do varejo também confirmam o ritmo mais acelerado da atividade econômica, apesar de o desempenho anual do PIB chinês no ano passado ter sido o mais fraco desde 1999.

Em reação a esses dados, a maioria dos mercados asiáticos fechou em alta. No Ocidente, porém, as principais bolsas europeias e os índices futuros das Bolsas de Nova York não mostram consistência e oscilam entre ligeiras altas e baixas. Entre as matérias-primas, os metais básicos têm leves ganhos, enquanto o petróleo realiza lucros e cai. Esse comportamento deixa ainda mais incerto o rumo das blue chips, Petrobras e Vale, nesta última sessão antes do vencimento de opções sobre ações, na segunda-feira.

cotações recentes

 
Cotações recentes
Símbolo Preço Variação % Var 
Seus tickers vistos mais recentemente aparecerão aqui automaticamente se você digitou um ticker no campo "Inserir símbolo/empresa" na parte inferior deste módulo.
É necessário permitir os cookies do seu navegador para ver as cotações mais recentes.
 
Entre para ver as cotações nos seus portfólios.

Resumo do Mercado

  • Moedas
    Moedas
    NomePreçoVariação% Variação
    3,2418-0,0025-0,08%
    USDBRL=X
    3,6470-0,0027-0,07%
    EURBRL=X
    0,8889+0,0004+0,05%
    USDEUR=X
  • Commodities
    Commodities
    NomePreçoVariação% Variação

Destaques do Mercado

  • Líderes em Volume
    Líderes em Volume
    NomePreçoVariação% Variação
    13,40-0,29-2,12%
    PETR4.SA
    3,54-0,09-2,48%
    GOAU4.SA
    8,41-0,10-1,18%
    ITSA4.SA
    3,53-0,04-1,12%
    USIM5.SA
    2,72+0,18+7,09%
    OIBR4.SA
  • Altas %
    Altas %
    NomePreçoVariação% Variação
    2,19+0,44+25,14%
    REDE3.SA
    26,90+4,40+19,56%
    GPCP3.SA
    63,41+8,42+15,31%
    USSX34.SA
    1,89+0,20+11,83%
    LIXC3.SA
    7,75+0,61+8,54%
    USIM3.SA
  • Baixas %
    Baixas %
    NomePreçoVariação% Variação
    5,00-1,35-21,26%
    IMBI3.SA
    2,30-0,49-17,56%
    TXRX4.SA
    3,28-0,48-12,77%
    CTNM3.SA
    3,50-0,50-12,50%
    ALUP4.SA
    5,34-0,65-10,85%
    CRPG5.SA