Mercado fechará em 1 h 52 min

China amplia acesso estrangeiro ao mercado financeiro de derivativos de commodities

Display eletrônico mostrando índices de ações em Xangai

XANGAI (Reuters) - A China abriu seus mercados financeiros e de commodities para mais investidores estrangeiros nesta sexta-feira, permitindo que instituições estrangeiras qualificadas negociem amplamente instrumentos domésticos de futuros e opções.

Isso faz parte do plano de Pequim de liberalizar seu vasto mercado de capitais, o segundo maior do mundo, e também de aprofundar o poder de precificação da China em commodities-chave, como petróleo bruto e minério de ferro.

A Bolsa de Futuros Financeiros da China disse em comunicado que permitiu o acesso estrangeiro a opções de índices de ações.

Os investidores visados são aqueles sob o esquema de Investidor Institucional Estrangeiro Qualificado (QFII) e seu par denominado em iuan, RQFII.

Os dois grupos de investidores já estavam autorizados a negociar futuros de índices de ações desde novembro de 2020.

Também na sexta-feira, as principais bolsas de commodities do país anunciaram uma gama mais ampla de produtos abertos à participação estrangeira.

Estes incluem petróleo bruto, produtos de baixo teor de enxofre, óleo combustível, borracha e cobre na Shanghai International Energy Exchange, soja e minério de ferro na Dalian Commodity Exchange e cobre e alumínio na Shanghai Futures Exchange.

Contratos na Bolsa de Mercadorias de Zhengzhou, como PTA, metanol, açúcar e óleo de colza, estão entre os que estão sendo abertos.

(Reportagem da redação de Xangai; reportagem adicional de Chen Aizhu em Cingapura)