Mercado abrirá em 4 h 15 min
  • BOVESPA

    121.801,21
    -1.775,35 (-1,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.195,43
    -438,48 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    67,85
    -0,30 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.811,30
    -3,20 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    38.795,59
    +1.133,75 (+3,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    960,63
    +33,86 (+3,65%)
     
  • S&P500

    4.402,66
    -20,49 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    34.792,67
    -323,73 (-0,92%)
     
  • FTSE

    7.122,25
    -1,61 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    26.204,69
    -221,86 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.090,75
    +17,25 (+0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1463
    +0,0280 (+0,46%)
     

China afirma que importadores reduziram voluntariamente compras da Austrália

·2 minuto de leitura
Bandeiras da Austrália e da China durante cerimônia em Pequim

PEQUIM (Reuters) - A China disse nesta terça-feira que menores importações de produtos australianos como vinho, carvão e açúcar são resultado de decisões dos próprios compradores, após a mídia afirmar que o governo chinês pediu a importadores que parassem de comprar uma série de produtos australianos em meio a uma deterioração dos laços entre os países.

Citando fontes anônimas, a Australian Financial Review disse na segunda-feira que autoridades chinesas tiveram reuniões com importadores de alimentos e vinho na semana passada, na qual teriam alertado para que não fizessem novos pedidos de vinho e produtos agrícolas australianos.

O South China Morning Post, citando fontes, disse que a China deve bloquear importações de açúcar, vinho, lagostas, cevada, carvão e minério de cobre e concentrados da Austrália.

Segundo a publicação, pode haver em seguida um veto também ao trigo, embora uma data não tenha sido definida. A Reuters não conseguiu confirmar de imediato as reportagens.

Questionada sobre se o governo pediu a importadores que parassem de comprar produtos australianos, o ministério de Relações Exteriores da China disse à Reuters: "empresas relevantes reduzindo importações de produtos relevantes da Austrália estão agindo por iniciativa própria".

A China começou na semana passada novas inspeções alfandegárias sobre lagostas da Austrália, enquanto suspendeu importações de madeira do Estado australiano de Queensland e embarques de cevada da exportadora Emerald Green, em meio à piora no relacionamento entre os países, que já havia atingido o comércio de outros produtos.

"Embora não devamos nos apressar em conclusões, estamos trabalhando de forma próxima com várias indústrias que foram alvo dessas reportagens", disse o ministro australiano de Comércio, Simon Birmingham, em nota nesta terça-feira.

"Nós também continuamos a questionar autoridades chineses para buscar esclarecimentos e para incentivá-los e resolver áreas de conflito", acrescentou.

A China disse na segunda-feira que a suspensão das importações de madeira da Austrália veio após ter encontrado pestes em diversos embarques anteriores, enquanto as fiscalizações sobre lagostas miram garantir a segurança alimentar.

(Por Gabriel Crossley, Colin Packham e Dominique Patton)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos