Mercado abrirá em 6 h 32 min

China afirma que importadores reduziram voluntariamente compras da Austrália

·2 minuto de leitura
Bandeiras da Austrália e da China durante cerimônia em Pequim
Bandeiras da Austrália e da China durante cerimônia em Pequim

PEQUIM (Reuters) - A China disse nesta terça-feira que menores importações de produtos australianos como vinho, carvão e açúcar são resultado de decisões dos próprios compradores, após a mídia afirmar que o governo chinês pediu a importadores que parassem de comprar uma série de produtos australianos em meio a uma deterioração dos laços entre os países.

Citando fontes anônimas, a Australian Financial Review disse na segunda-feira que autoridades chinesas tiveram reuniões com importadores de alimentos e vinho na semana passada, na qual teriam alertado para que não fizessem novos pedidos de vinho e produtos agrícolas australianos.

O South China Morning Post, citando fontes, disse que a China deve bloquear importações de açúcar, vinho, lagostas, cevada, carvão e minério de cobre e concentrados da Austrália.

Segundo a publicação, pode haver em seguida um veto também ao trigo, embora uma data não tenha sido definida. A Reuters não conseguiu confirmar de imediato as reportagens.

Questionada sobre se o governo pediu a importadores que parassem de comprar produtos australianos, o ministério de Relações Exteriores da China disse à Reuters: "empresas relevantes reduzindo importações de produtos relevantes da Austrália estão agindo por iniciativa própria".

A China começou na semana passada novas inspeções alfandegárias sobre lagostas da Austrália, enquanto suspendeu importações de madeira do Estado australiano de Queensland e embarques de cevada da exportadora Emerald Green, em meio à piora no relacionamento entre os países, que já havia atingido o comércio de outros produtos.

"Embora não devamos nos apressar em conclusões, estamos trabalhando de forma próxima com várias indústrias que foram alvo dessas reportagens", disse o ministro australiano de Comércio, Simon Birmingham, em nota nesta terça-feira.

"Nós também continuamos a questionar autoridades chineses para buscar esclarecimentos e para incentivá-los e resolver áreas de conflito", acrescentou.

A China disse na segunda-feira que a suspensão das importações de madeira da Austrália veio após ter encontrado pestes em diversos embarques anteriores, enquanto as fiscalizações sobre lagostas miram garantir a segurança alimentar.

(Por Gabriel Crossley, Colin Packham e Dominique Patton)