Mercado fechará em 3 h 10 min

China acelera abertura do mercado para bancos de investimento

Bloomberg News

(Bloomberg) -- A China antecipou a abertura planejada de seu mercado de capitais de US$ 21 trilhões em oito meses, facilitando a entrada para bancos de investimento globais como o Goldman Sachs.

O banco de investimentos de Nova York e rivais, como JPMorgan Chase e Morgan Stanley, agora poderão se candidatar para abrir unidades com 100% do controle em abril, em comparação com o prazo anterior de dezembro. As subsidiárias poderão realizar uma ampla gama de serviços de bancos de investimento e negociação de valores mobiliários no país governado pelo Partido Comunista.

A decisão foi incluída na assinatura do acordo comercial com os EUA, resolvendo parcialmente uma prolongada disputa que pesava sobre a segunda maior economia do mundo. A China já havia se comprometido com uma abertura mais ampla do mercado financeiro de US$ 45 trilhões, o que também inclui acesso aos mercados de gestão de ativos e seguros.

“A China eliminará os limites de capital estrangeiro e permitirá que provedores de serviço totalmente controlados por empresas dos EUA participem dos setores de valores mobiliários, gestão de fundos e futuros”, de acordo com o texto do acordo comercial de fase 1 divulgado na quarta-feira.

A China disse que não levará mais de 90 dias para considerar pedidos de provedores de serviços de pagamentos eletrônicos, que incluem American Express, Mastercard e Visa, para realizar transações no país. O país eliminará restrições para permitir que empresas de seguros controladas por investidores dos EUA entrem em seus mercados e também abrirá o segmento de US$ 14 trilhões para agências de classificação de risco dos EUA.

Como medida recíproca, os EUA “considerarão rapidamente” os pedidos pendentes de empresas financeiras chinesas, como Citic Securities, China Reinsurance e China International Capital Corp. O governo dos EUA se compromete com o tratamento “não discriminatório” de provedores de pagamento, como a UnionPay, e empresas de classificação de risco chinesas.

--Com a colaboração de Jun Luo.

To contact Bloomberg News staff for this story: Lucille Liu em Pequim, xliu621@bloomberg.net

Para entrar em contato com os editores responsáveis: Candice Zachariahs, czachariahs2@bloomberg.net, ;Alan Goldstein, agoldstein5@bloomberg.net, Jonas Bergman, Dan Reichl

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.