Mercado fechará em 4 h 51 min
  • BOVESPA

    122.376,36
    +495,54 (+0,41%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.221,03
    +1,77 (+0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,05
    +0,68 (+1,04%)
     
  • OURO

    1.865,40
    +27,30 (+1,49%)
     
  • BTC-USD

    44.403,51
    -3.773,52 (-7,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.223,80
    +25,88 (+2,16%)
     
  • S&P500

    4.152,92
    -20,93 (-0,50%)
     
  • DOW JONES

    34.221,50
    -160,63 (-0,47%)
     
  • FTSE

    7.045,17
    +1,56 (+0,02%)
     
  • HANG SENG

    28.194,09
    +166,52 (+0,59%)
     
  • NIKKEI

    27.824,83
    -259,67 (-0,92%)
     
  • NASDAQ

    13.291,50
    -95,50 (-0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3874
    -0,0166 (-0,26%)
     

Chile receberá terceira dose de Sinovac e Pfizer se necessário

Valentina Fuentes
·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O Chile fechou acordos para terceiras doses de vacinas contra a Covid-19 da Sinovac e Pfizer caso sejam necessárias nos próximos meses, segundo uma autoridade do governo.

Outros sete milhões de doses da Coronavac e cinco milhões da vacina da Pfizer chegariam até o fim do ano se as autoridades de saúde considerarem necessárias, disse o subsecretário de Relações Econômicas Internacionais do Chile, Rodrigo Yáñez, em entrevista. O governo também quer estar pronto caso reguladores autorizem a vacinação de menores de 18 anos, disse.

“A terceira dose é uma decisão de saúde ainda em desenvolvimento”, disse Yáñez, que lidera as negociações do governo com fornecedores de vacinas no mundo todo. “Mas, do ponto de vista de negociações e contratos, essa dose adicional estaria disponível este ano.”

O Chile conta com uma das campanhas de vacinação mais rápidas do mundo, que já administrou pelo menos uma dose a mais de 40% da população. Os contratos distanciam o país ainda mais de mercados emergentes como Brasil e México, que estão atrasados na imunização. Ainda assim, o Chile tenta controlar uma nova de Covid que elevou os casos diários a níveis recordes este mês.

O Chile receberá doses da vacina da AstraZeneca até o fim de abril, que será usada “porque seus benefícios superam os possíveis efeitos adversos”, disse Yáñez. O governo também assinou acordo no mês passado para receber 1,8 milhão de doses da CanSino Biologics e continua a negociar acesso à Sputnik V, da Rússia, e à vacina da Johnson & Johnson, entre outras.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.