Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,63 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,59 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.751,40
    -5,30 (-0,30%)
     
  • BTC-USD

    47.402,60
    -934,05 (-1,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,61%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,42 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,96 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.282,75
    -226,75 (-1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Chile começa a vacinar crianças a partir de 6 anos com a CoronaVac

·2 minuto de leitura

Nesta semana, o Chile se tornou o primeiro país sul-americano a iniciar a campanha de imunização contra covid-19 em crianças. O país, que tem uma das populações mais vacinadas no planeta, agora avança para aplicação na faixa etária de 6 a 12 anos.

O imunizante utilizado pelas autoridades de saúde chilenas entre as crianças é a CoronaVac. Seu uso foi aprovado na semana passada, seguindo outros países como China e Indonésia que deram aval para utilização emergencial em crianças.

A aprovação se baseia em estudos clínicos de fase 1 e 2 que demonstraram boa imunogenicidade e segurança para idades a partir dos 3 anos, mas não foi unânime. Dos oito especialistas convocados pelo Instituto de Saúde Pública (ISP) do Chile, cinco deram parecer favorável, dois recomendaram o uso apenas em adolescentes com mais de 12 anos e um foi totalmente contrário.

Crianças têm sido nova preocupação em países com vacinação avançada (Imagem: Freepik)
Crianças têm sido nova preocupação em países com vacinação avançada (Imagem: Freepik)

Nesta primeira fase da imunização pediátrica no Chile, serão priorizadas as crianças com comorbidades. A partir de 26 de setembro, a vacina será liberada a toda a população dentro da faixa etária.

A decisão chega em um momento em que vários países com campanha de vacinação avançada começam a enfrentar um aumento de casos em crianças, especialmente com a proliferação global da variante Delta.

No Brasil e no mundo

Vale notar que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) vetou o uso da CoronaVac em menores de idade no Brasil. A justificativa dada foi a falta de dados claros que permitam embasar uma decisão.

Por enquanto, o único imunizante liberado no país para aplicação em adolescentes, com idade a partir de 12 anos, é a Comirnaty, da Pfizer/BioNTech, que já tem aprovação irrestrita de uso nessa população.

Pelo mundo, a Pfizer e a BioNTech também miram a liberação em um público ainda mais jovem. Os estudos com crianças de 5 a 11 anos já estão em andamento e devem ser entregues aos órgãos regulatórios dos Estados Unidos e da Europa, com a possibilidade de uma aprovação ainda em outubro.

A vacina pediátrica da Pfizer é a mesma utilizada em todas as faixas etárias, com a diferença da dosagem, que é menor para as crianças.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos