Mercado abrirá em 1 h 47 min

Chevrolet Bolt chega em janeiro por R$ 175 mil; Canaltech testou

Felipe Ribeiro

A Chevrolet anunciou em evento na última sexta-feira (1º) a nova versão do seu carro 100% elétrico, o Chevrolet Bolt. O veículo, que está em pré-venda, recebeu algumas atualizações para se tornar ainda mais competitivo e acessível, apesar de ainda custar R$ 175 mil. A principal mudança fica por conta da autonomia do carro, que agora é capaz de rodar 416 quilômetros com apenas uma carga e em circuito misto, ou seja: entre estrada e cidade.

Durante a apresentação, a Chevrolet procurou destacar como o Bolt, apesar de inovador, reúne características de um carro sem "malabarismos", mesmo que o seu powertrain seja de fazer inveja a muito muscle car do mercado. O Bolt é capaz de gerar potência de 203cv, com 36,7 kgf/m de torque imediato, ou seja: pisou, andou — e muito. O seu 0 a 100 pode ser feito em pouco mais do que 7 segundos, número bem parecido com o BMW i3, que já testamos aqui no Canaltech.

"O Bolt é um carro extremamente divertido e bem equipado, o que o tornará um veículo muito agradável e seguro de dirigir tanto na estrada quanto na cidade. É um produto que temos muito orgulho de trazer para o mercado brasileiro", disse Carlos Zarlenga, presidente da General Motors América do Sul, durante a apresentação do Bolt.

Carlos Zarenga, presidente da GM da América do Sul, em apresentação do Chevrolet Bolt (Foto: Felipe Ribeiro/Canaltech)

E por falar em segurança, o Bolt traz muitos itens tecnológicos para esse propósito. São 10 airbags, assistente de permanência na faixa, alerta de ponto cego, aviso de tráfego traseiro cruzado, alerta de colisão frontal e sistema de frenagem automática com detecção de pedestres para mitigar acidentes.

Foto: Felipe Ribeiro/Canaltech

Além disso, a linha 2020 vem com as câmeras de alta definição para visão 360 graus que auxiliam manobras de estacionamento e ficam localizadas nas extremidades do veículo, melhorando a visibilidade. O veículo conta com uma interessante tecnologia que transforma o espelho retrovisor central numa tela que projeta imagens da parte traseira em maior ângulo.

Carregamento

O Bolt EV estreia no Brasil equipado com uma última geração de baterias (10% mais eficiente devido à nova composição de seus elementos químicos), com 66 kWh de capacidade, configuração recém-lançada nos Estados Unidos, onde o produto é produzido. Hoje, o custo estimado por quilômetro rodado do elétrico da Chevrolet é até quatro vezes inferior ao de um modelo flex do mesmo porte — e inferior ao de híbridos também.

Painel do Chevrolet Bolt (Foto: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Além do veículo em si, as concessionárias Chevrolet credenciadas para comercializar o Bolt EV estarão aptas a oferecerem o aparelho de recarga rápida para ser instalado na garagem do cliente, que custará por volta de R$ 8 mil. Quatro vezes mais eficiente que a recarga numa tomada 220V convencional, o aparelho de recarga rápida fornece uma quantidade de energia por hora suficiente para que o veículo rode cerca de 40 km, média que um motorista comum percorre por dia. Neste caso, a recarga completa das baterias leva por volta de dez horas.

Estação de recarga doméstica do Bolt (Foto: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Já em eletropostos de alta voltagem, bastam 30 minutos de recarga para o carro rodar cerca de 160 km. O Bolt EV conta com garantia de três anos para o veículo e de oito anos para as baterias de íon-lítio.

Divertido de guiar

O Canaltech teve a oportunidade de testar o Chevrolet Bolt por alguns momentos durante o evento. De imediato, o que sentimos foi uma proposta bem futurista dentro da cabine, com nenhum medidor analógico e muitas informações acerca do funcionamento do veículo podendo ser acessadas com poucos toques na tela de 10,2 polegadas posicionada no centro do painel.

Foto: Felipe Ribeiro/Canaltech

Ao rodar com o carro, também percebemos o seu excelente desempenho em arrancadas e retomadas, muito ligeiras e com "chão". Isso pode ser explicado por dois fatores: uma carroceria bem rígida e segura, e a presença da bateria no assoalho do carro, o que lhe garante um centro de gravidade menor.

A direção com assistência elétrica é das mais bem calibradas que tivemos a chance de testar, e os freios, que também são capazes de dar carga à bateria, funcionam muito bem.

De negativo, no entanto, destacamos a suspensão do carro, um pouco dura e que não absorve bem os impactos das combalidas ruas de São Paulo. O conforto, por sua vez, é bem relativo, uma vez que os bancos nos pareceram em um formato um pouco estranho, não nos "segurando" muito bem em situações de curva.

Já o acabamento do Bolt é semelhante ao de veículos como o novo Onix, com muito plástico duro, apesar de bem trabalhado e com aparência futurista, como citamos acima. Ainda vamos testá-lo com mais tempo, mas, no geral, a primeira impressão é positiva.

Preço e disponibilidade

O mais novo crossover da marca começa a ser ofertado inicialmente em 12 cidades, selecionadas com base em estudos de mercado. São elas: São Paulo, Campinas, São José dos Campos (SP), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Florianópolis, Joinville (SC), Recife (PE) e Vitória (ES).

O Bolt está em pré-venda e pode ser adquirido em versão única por R$ 175 mil. As vendas oficiais começam em janeiro de 2020.


Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: