Mercado abrirá em 2 h 37 min

Chevrolet anuncia nova plataforma e bateria aprimorada para carros elétricos

Felipe Ribeiro

A Chevrolet também está com planos audaciosos no campo dos carros eletrificados. A gigante dos automóveis anunciou na última quarta-feira (4) sua estratégia para este mercado, revelando muitos produtos e destacando para os investidores duas grandes novidades: um nova plataforma modular de veículo elétrico e uma nova bateria aprimorada chamada Ultium.

Muito parecida com a plataforma MEB da Volkswagen, a plataforma GM (General Motors) deve ser flexível e multifacetada, com o objetivo de eventualmente sustentar uma variedade de tipos e formas de veículos. A nova bateria, por sua vez, é bem diferenciada devido às “células de grande formato, tipo bolsa”, comparadas às células cilíndricas, que a Chevrolet diz que permitem que elas sejam empilhadas vertical ou horizontalmente dentro da bateria. Essas baterias oferecem potência variando de 50 a 200 kWh, o que poderia permitir um alcance de condução de até 640 quilômetros. Os motores projetados internamente suportam sistemas de tração dianteira, traseira e integral (nas quatro rodas).

A GM alterou a química de suas células de bateria, em um movimento que é diferente da maioria das baterias para carros elétricos em produção atualmente. A maioria das baterias é fabricada com NCM - níquel, cobalto e magnésio. As baterias de Ultium, por sia vez adicionam alumínio - então NCMA - e reduzem o conteúdo de cobalto em 70%. A General Motors também reduziu em cerca de 80% a quantidade de fiação da arquitetura usada atualmente no Chevrolet Bolt, seu carro elétrico em circulação atualmente e que já foi testado aqui pelo Canaltech. A esperança é de que isso reduza os custos das células da bateria abaixo do nível de US$ 100 por kWh e permita que a GM ganhe mais dinheiro ao aumentar sua capacidade de produção de veículos elétricos.

Ainda segundo a montadora, os veículos elétricos movidos a Ultium são projetados para carregamento rápido de nível 2 e CC. A maioria terá baterias de 400 volts e capacidade de carregamento rápido de até 200kW, enquanto a plataforma de caminhões da empresa terá baterias de 800 volts e capacidade de carregamento rápido de 350 kW. A GM diz que quer abordar os dois principais pontos problemáticos da propriedade de um veículo elétrico: custo e tempo de carregamento.

Imagem: General Motors

O evento pretendia convencer os investidores de Wall Street de que a GM tem capacidade de alcançar a Tesla. A empresa de Elon Musk disparou na avaliação, mesmo com a indústria automobilística, em geral, sofrendo com os crescentes temores de coronavírus. Na terça-feira (0), o valor de mercado da Tesla ficou em torno de US$ 144 bilhões, mais de três vezes os US$ 45 bilhões da GM.

Muitos carros elétricos

A montadora disse que planeja lançar 20 carros eletrificados até 2023 e divulgará publicamente três desses veículos nos próximos meses: o crossover Cadillac "Lyriq" EV, em abril, e duas versões elétricas do Hummer, da GMC, em maio. Além disso, uma parceria com a Honda fará surgir o Cruise Origin, um veículo compartilhado, elétrico e autônomo desenvolvido pela Cruise (subsidiária majoritária da GM) junto aos japoneses.

Todas as quatro marcas da General Motors - Chevrolet, Cadillac, GMC e Buick - lançarão novos veículos elétricos. O Cadillac Lyriq será o primeiro construído na nova arquitetura BEV3 da empresa. Em seguida, será apresentado o Hummer EV nos formatos de picape e SUV. Também devem chegar novas versões do Bolt, atualizadas com uma distância entre eixos mais longa, dois SUVs Buick e um sedan Cadillac chamado "Celistiq". Tudo isso faz parte do plano mais amplo da GM de gastar US$ 20 bilhões em custos de capital e engenharia até 2025.

Em janeiro, a empresa informou que gastaria US$ 2,2 bilhões para modernizar sua fábrica de Detroit-Hamtramck para a produção de veículos autônomos e elétricos. Os trabalhadores de lá recentemente deram uma olhada em alguns dos veículos que eles serão encarregados de construir, incluindo o Cruise Origin e as duas versões do Hummer da GMC.

Em dezembro passado, a montadora disse que estava formando uma joint venture com a sul-coreana LG para massificar a produção de baterias para carros elétricos, com as duas empresas planejando investir um total de US$ 2,3 bilhões na construção de uma nova instalação em Lordstown, Ohio. Essa planta fornecerá células de bateria para os veículos elétricos fabricados em Detroit-Hamtramck.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: