Mercado abrirá em 4 h 32 min
  • BOVESPA

    108.843,74
    -2.595,62 (-2,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.557,65
    -750,06 (-1,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,54
    +1,25 (+1,78%)
     
  • OURO

    1.761,90
    -1,90 (-0,11%)
     
  • BTC-USD

    43.076,84
    -1.932,78 (-4,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.080,38
    -54,00 (-4,76%)
     
  • S&P500

    4.357,73
    -75,26 (-1,70%)
     
  • DOW JONES

    33.970,47
    -614,41 (-1,78%)
     
  • FTSE

    6.980,21
    +76,30 (+1,11%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.839,71
    -660,34 (-2,17%)
     
  • NASDAQ

    15.150,25
    +140,75 (+0,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2897
    +0,0450 (+0,72%)
     

Chegam a Havana doações de alimentos e remédios do México e da Bolívia

·1 minuto de leitura
Membro do exército boliviano supervisiona a remessa de alimentos e medicamentos doados por seu país a Cuba no aeroporto José Martí, em Havana, em 30 de julho de 2021

Um navio da Marinha do México e um avião boliviano chegaram a Havana nesta sexta-feira (30) com a primeira parte da ajuda humanitária destinada a Cuba, diante da escassez de alimentos e medicamentos que vive a ilha, em seu pior momento da pandemia.

As doações de ambos os países chegam quase três semanas após as manifestações históricas de 11 e 12 de julho estourarem em mais de 40 cidades de Cuba. Coincide também com o anúncio feito nesta sexta de novas sanções a funcionários da polícia cubana pelo Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, por "reprimirem" os protestos.

O navio mexicano levou 612,5 toneladas de alimentos como leite em pó, feijão, farinha de trigo e latas de atum. O governo do México informou que a doação inclui suprimentos médicos como seringas, tanques de oxigênio tipo T e máscaras. Outra remessa deve chegar neste sábado. Já o avião boliviano transportou 16,5 toneladas de alimentos e uma tonelada de insumos de biossegurança.

Com esse apoio humanitário, México e Bolívia tentam ajudar a aliviar a complexa situação que Cuba enfrenta com o endurecimento das sanções impostas pelos governos de Donald Trump e Joe Biden, assim como devido à pandemia, que tem impedido o turismo na ilha, sua maior fonte de renda.

Cuba, que mantinha um baixo índice de contágio pelo novo coronavírus, registra há meses um aumento constante, com um total de 375.721 casos e 2.693 mortos.

lp/dg/ic/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos