Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    33.521,01
    +1.207,40 (+3,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Chefe de segurança diz que Rússia vai cooperar com os EUA contra hackers

·1 minuto de leitura
Alexander Bortnikov, chefe de agência de segurança russa, em Moscou

MOSCOU (Reuters) - A Rússia trabalhará com os Estados Unidos para localizar criminosos cibernéticos, disse o chefe do serviço de segurança russo nesta quarta-feira, uma semana depois de os presidentes dos países concordarem em aumentar a cooperação em certas áreas.

Alexander Bortnikov disse que a agência de segurança seguirá acordos firmados por Vladimir Putin e Joe Biden durante conversas sobre questões de segurança cibernética ocorridas durante uma cúpula da semana passada na Suíça, seu primeiro encontro cara a cara desde que Biden tomou posse em janeiro.

"Trabalharemos juntos (para localizar hackers) e esperamos reciprocidade", disse Bortnikov em uma conferência de segurança em Moscou, segundo a agência de notícias RIA.

Outra autoridade de alto escalão disse que Moscou está esperando uma resposta de Washington sobre consultas a respeito de questões de segurança cibernética, relatou a agência de notícias Tass.

Na cúpula, Biden disse a Putin que parte da infraestrutura crítica deve estar "fora do alcance" de ataques virtuais depois que criminosos cibernéticos em busca de resgate provocaram o fechamento temporário de uma grande rede de oleodutos dos EUA, interrompendo o fornecimento de combustível e provocando uma corrida aos postos de abastecimento.

Em alguns casos de ataques cibernéticos, os EUA acusam os responsáveis de trabalharem diretamente para o governo russo ou do território russo. O Kremlin nega qualquer envolvimento estatal nas ações.

(Por Maria Kiselyova e Tom Balmforth)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos