Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.132,20 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,62 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,19
    -0,17 (-0,32%)
     
  • OURO

    1.818,60
    -11,30 (-0,62%)
     
  • BTC-USD

    35.850,13
    -104,93 (-0,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    698,99
    -36,15 (-4,92%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +76,96 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.258,34
    -260,84 (-0,91%)
     
  • NASDAQ

    12.767,25
    -35,00 (-0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3843
    -0,0083 (-0,13%)
     

Chefe de gabinete de Biden diz que resposta a ataque hacker irá “além de apenas sanções”

Raphael Satter
·1 minuto de leitura

Por Raphael Satter

WASHINGTON (Reuters) - O próximo chefe de gabinete da Casa Branca afirmou, neste domingo, que a resposta do governo do presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, ao imenso ataque hacker descoberto na semana passada contra agências federais norte-americanas irá além de sanções.

Ron Klain disse que Biden estava mapeando maneiras de reagir aos supostos hackers russos que penetraram meia dúzia de agências do governo dos EUA e deixaram milhares de empresas norte-americanas expostas.

“Não são apenas sanções. São passos e coisas que podemos fazer para degradar a capacidade de agentes estrangeiros de realizar esse tipo de ataque”, disse Klain ao programa “Face the Nation”, da emissora CBS.

As opções sendo consideradas pelo governo Biden para punir a Rússia por seu suposto papel incluem punições financeiras e ataques retaliatórios à infraestrutura da Rússia, afirmaram pessoas com conhecimento do assunto à Reuters.

O Kremlin nega ter tido qualquer papel no ataque.

Biden, que tomará posse em 20 de janeiro, provavelmente terá apoio bipartidário para uma reação contundente à campanha de espionagem, indicaram dois senadores neste domingo.

O senador republicano Mitt Romney afirmou, em entrevista ao programa “Meet the Press”, da NBC, que a violação de dados foi “extremamente danosa”.

“Isso exige uma resposta”, disse. “É algo de que precisaremos tratar assim que possível”.

(Reportagem adicional de Idrees Ali e Susan Heavey)