Mercado fechado

Chefe do FMI diz que reunião entre Biden e Xi é sinal "construtivo" para o comércio

Por David Lawder

NUSA DUA, Indonésia (Reuters) - O encontro do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, com o líder chinês, Xi Jinping, foi um sinal "muito construtivo" que pode aliviar as tensões comerciais entre as duas maiores economias do mundo, disse a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, nesta quarta-feira.

Os líderes das principais economias emitiram um "apelo forte" pelo fim da guerra da Rússia na Ucrânia, em parte porque o conflito é o maior fator individual desacelerando a economia global, disse Georgieva à Reuters no final de uma controversa cúpula do G20.

Mas o encontro entre Biden e Xi enviou "uma mensagem muito significativa ao mundo de que a cooperação internacional é importante para todos nós", disse Georgieva.

Ela observou que o FMI alertou que o crescimento sofreria se o mundo se fragmentasse em blocos geopolíticos liderados pelos Estados Unidos e aliados ocidentais de um lado e a China e outras economias comandadas pelo Estado do outro, com concorrência de tecnologia e outros fatores. Isso reduziria a produção do PIB global em 1,4 trilhão de dólares, para 3,5 trilhões de dólares, estima o Fundo.

"Imagine o que o mundo pode fazer com esse tipo de dinheiro", disse Georgieva.

"E em um momento de inflação alta, isso é menos desejável", disse Georgieva ao falar sobre tarifas dos EUA impostas sobre a China. "Além disso, a China reconhece que tem que haver uma confiança na cooperação mútua porque vemos a economia chinesa em uma situação muito difícil."

(Reportagem de David Lawder)