Mercado fechará em 4 h 51 min
  • BOVESPA

    129.643,97
    +876,52 (+0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.187,01
    +57,13 (+0,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,62
    +0,77 (+1,06%)
     
  • OURO

    1.790,40
    +13,00 (+0,73%)
     
  • BTC-USD

    34.211,52
    +4.709,09 (+15,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    826,67
    +16,48 (+2,03%)
     
  • S&P500

    4.246,93
    +0,49 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    33.924,71
    -20,87 (-0,06%)
     
  • FTSE

    7.103,68
    +13,67 (+0,19%)
     
  • HANG SENG

    28.817,07
    +507,31 (+1,79%)
     
  • NIKKEI

    28.874,89
    -9,24 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    14.270,50
    +12,25 (+0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9321
    +0,0123 (+0,21%)
     

Chefe de comércio dos EUA expressa preocupação à China, diz Washington

·1 minuto de leitura
Bandeiras da China e dos Estados Unidos em Xangai

Por Colin Qian e Engen Tham e Tony Munroe

XANGAI/WASHINGTON (Reuters) - A principal autoridade de comércio do governo dos Estados Unidos relatou à China preocupações em Washington com as políticas industriais de Pequim, informou o Departamento de Comércio dos Eua nesta quinta-feira, na mais recente discussão de alto nível à medida que os países discutem suas divergências.

O departamento informou que o telefonema da secretária de Comércio dos EUA, Gina Raimondo, com o ministro do Comércio da China, Wang Wentao, também incluiu uma conversa sobre a visão de Washington acerca da "necessidade de igualdade de condições para empresas norte-americanas na China e a importância de proteger a tecnologia norte-americana de usuários não autorizados".

O Ministério do Comércio chinês disse separadamente que ambas as autoridades concordaram em manter as linhas de comunicação abertas.

"Eles concordaram em promover o desenvolvimento saudável do comércio e dos investimentos e cooperar de forma pragmática para lidar com suas diferenças", disse o ministério chinês.

As duas maiores economias do mundo estão em desacordo em diversas frentes, com o Senado dos EUA aprovando esta semana um amplo pacote de leis com o objetivo de aumentar a capacidade do país de competir com a tecnologia chinesa, atraindo fortes críticas de Pequim.

Na quarta-feira, no entanto, o presidente Joe Biden retirou uma série de decretos da era Trump que buscavam proibir novos downloads dos populares aplicativos WeChat e TikTok, de propriedade chinesa, e ordenou uma revisão do Departamento do Comércio das questões de segurança apresentadas por esses e outros aplicativos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos