Mercado abrirá em 6 h 52 min
  • BOVESPA

    108.376,35
    -737,80 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.006,11
    +197,55 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,36
    -1,14 (-1,45%)
     
  • OURO

    1.629,90
    -6,30 (-0,39%)
     
  • BTC-USD

    18.850,65
    -1.326,65 (-6,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    431,45
    -27,68 (-6,03%)
     
  • S&P500

    3.647,29
    -7,75 (-0,21%)
     
  • DOW JONES

    29.134,99
    -125,82 (-0,43%)
     
  • FTSE

    6.984,59
    -36,36 (-0,52%)
     
  • HANG SENG

    17.412,83
    -447,48 (-2,51%)
     
  • NIKKEI

    26.060,57
    -511,30 (-1,92%)
     
  • NASDAQ

    11.252,25
    -81,50 (-0,72%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1400
    -0,0199 (-0,39%)
     

Presidente do Banco Mundial afirma que não renunciará

O presidente do Banco Mundial, David Malpass, acusado nos últimos dias de ser cético em relação às mudanças climáticas, afirmou nesta sexta-feira (23) que não pretende deixar o cargo, voltando a negar as acusações.

"Não vou renunciar e não considerei isso", respondeu Malpass, questionado pelo jornal "Politico", acrescentando que nenhum dos Estados-membros da instituição internacional pediu a sua saída.

O presidente do Banco Mundial é criticado por não ter reconhecido o papel dos combustíveis fósseis no aquecimento global durante uma mesa-redonda organizada nesta semana pelo jornal "The New York Times".

"Condenamos os comentários do presidente" do Banco Mundial, declarou hoje a porta-voz da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, nesta sexta-feira, advertindo que "substituí-lo requer o acordo da maioria das partes".

Questionado na mesa-redonda sobre uma declaração do ex-vice-presidente dos Estados Unidos, Al Gore, que o acusou de ser um negacionista da mudança climática, Malpass se recusou repetidamente a dizer se acreditava que as emissões causadas pela atividade humana estavam aquecendo o planeta. "Não sou um cientista", afirmou.

Sob críticas crescentes, Malpass esclareceu sua posição ontem e o fez novamente nesta sexta-feira. "Está claro que as emissões de gases de efeito estufa da atividade humana estão aumentando, causando mudanças climáticas", disse ele ao jornal Politico. "Então, a tarefa para nós, para o mundo, é reunir os projetos e o financiamento que realmente causem impacto".

Em entrevista à CNN um dia antes, Malpass também reconheceu que a mudança climática vinha de "fontes criadas pelo homem, incluindo combustíveis fósseis, metano, usos agrícolas e usos industriais".

"Não sou um negacionista", afirmou, acrescentando que sua mensagem foi "confusa" e que "nem sempre" transmitiu bem o que queria dizer.

O chefe do Banco Mundial é tradicionalmente americano, enquanto o líder do outro grande credor internacional, o FMI, tende a ser europeu.

Malpass é um veterano de administrações republicanas e foi nomeado em 2019 sob a presidência de Donald Trump, conhecido por suas posições negacionistas sobre a realidade das mudanças climáticas.

els/ec/sw/dg/ad/aa/lb