Mercado fechará em 48 mins
  • BOVESPA

    110.999,11
    -2.431,43 (-2,14%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.670,84
    +106,57 (+0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,25
    -2,62 (-3,32%)
     
  • OURO

    1.940,60
    -4,70 (-0,24%)
     
  • BTC-USD

    22.986,43
    -169,17 (-0,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    520,34
    +277,66 (+114,41%)
     
  • S&P500

    4.055,46
    -21,14 (-0,52%)
     
  • DOW JONES

    33.751,22
    -334,82 (-0,98%)
     
  • FTSE

    7.761,11
    -10,59 (-0,14%)
     
  • HANG SENG

    22.072,18
    +229,85 (+1,05%)
     
  • NIKKEI

    27.346,88
    +19,77 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.118,00
    -34,00 (-0,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5594
    +0,0438 (+0,79%)
     

Chefão do Instagram admite que a rede tem "vídeos demais" e promete mudanças

O Chefe do Instagram, Adam Mosseri, admitiu que a plataforma está focada demais na exibição de vídeos para os usuários, mas que apresentará mais fotos do feed em 2023. A mudança teria desagradado fotógrafos especializados em fotos para redes sociais, que agora parecem preocupados com a perda de clientes.

Mosseri publicou um story no qual admite haver muita ênfase nos conteúdos de vídeos nos últimos dois anos. Ele usou o espaço para tranquilizar os profissionais ao dizer que as fotos continuarão a fazer parte do Instagram.

A rede social chegou a testar um feed em tela cheia para favorecer os vídeos, o que desagradou muita gente (Imagem: Divulgação/Instagram)
A rede social chegou a testar um feed em tela cheia para favorecer os vídeos, o que desagradou muita gente (Imagem: Divulgação/Instagram)

O executivo indicou ter havido um excesso de esforços nos vídeos no ano passado, porém garantiu que tudo será mais balanceado em 2023. Isto dá a entender uma mudança na política da empresa e, principalmente, no algoritmo para tentar equilibrar as recomendações, mostrando mais fotos e um pouco menos de Reels para as pessoas.

O Instagram levará mais em consideração a frequência de curtidas em fotos ou em vídeos para delimitar qual estilo de formato o usuário deseja. Mosseri lembrou que foram as fotografias que fizeram o Instagram ser conhecido, por isso elas devem ser manter como parte fundamental.

Vídeos curtos ainda devem seguir no Instagram

A afirmação do Big Boss do Insta não significa uma desistência de atuação no campo dos vídeos curtos. O formato Reels tem se mostrado bastante consistente na plataforma, inclusive entregando uma taxa de engajamento superior aos Stories e ao feed. Alguns criadores famosos do TikTok lançaram contas no Instagram apenas para pegar carona no sucesso do formato, potencializando o alcance a públicos distintos.

É provável que as principais alterações ainda ocorram no segmento de vídeos curtos, mas a balança realmente precisa ser equalizada. Muitas empresas de pequeno e médio porte não possuem tempo nem recursos para investir em vídeos, por isso as fotos eram tão bem aceitas.

O rival TikTok ocupa as primeiras posições em rankings de instalações e downloads há pelo menos dois anos, mas isso não significa que a internet inteira precise se render aos vídeos curtos. É bom ver que o Chefe do Instagram já percebeu isso a tempo de agir, sem querer "tiktokezar" de vez uma rede social reconhecida pela diversidade de público.

Ontem (24), a rede social liberou o uso de avatares 3D como imagem de perfil sem precisar abrir mão da foto original. A novidade permitirá que visitantes alternem entre os ícones com um gesto, sem precisar que o usuário fique alternando manualmente a imagem.

Na semana passada, Mosseri também usou seu perfil oficial para introduzir o Quiet Mode (Modo Silencioso, em português). Trata-se de uma ferramenta que permite programar pausas nas notificações da plataforma, durante o horário de trabalho, no período noturno ou aos finais de semana.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: