Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.867,62
    +338,65 (+0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,09
    -1,58 (-2,52%)
     
  • OURO

    1.794,30
    +15,90 (+0,89%)
     
  • BTC-USD

    54.965,47
    -1.530,84 (-2,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.267,40
    +4,44 (+0,35%)
     
  • S&P500

    4.173,42
    +38,48 (+0,93%)
     
  • DOW JONES

    34.137,31
    +316,01 (+0,93%)
     
  • FTSE

    6.895,29
    +35,42 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.891,25
    +97,00 (+0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7009
    -0,0016 (-0,02%)
     

Charles procura clube no Brasil após Covid impedir renovação na Turquia

Jorge Nicola
·1 minuto de leitura
Charles disputou 114 partidas pelo Antalyaspor, da Turquia (Getty Images)
Charles disputou 114 partidas pelo Antalyaspor, da Turquia (Getty Images)

A Covid-19 matou mais de 278 mil brasileiros e foi responsável pela perda de alguns milhares de empregos. Sobrou até para o volante Charles, de 36 anos, com passagens por Cruzeiro, Palmeiras, Santos... "Eu estava no Antalyaspor, da Turquia, e vim para o Brasil tratar uma lesão muscular. Coisa de dez dias. Mas, quando fui voltar para lá, não havia mais autorização", explica Charles.

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola

O episódio ocorreu há quase um ano. Para piorar, Charles precisava disputar apenas três partidas para ter seu contrato renovado de forma automática com o Antalyaspor. O Campeonato Turco recomeçou meses depois e Charles, ainda no Brasil, não conseguiu jogar, muito menos estender seu vínculo, que havia começado em 2015.

Leia também:

"Fiquei cinco anos no clube. O pior de tudo é que até hoje não consegui voltar para a Turquia nem para retirar as minhas coisas: carro, roupas, pertences pessoais. Tá tudo lá. Meu, da minha esposa e dos filhos", lamenta o carioca, sem jogar desde 29 de fevereiro do ano passado.

Foram, no total, 114 partidas e três gols em território turco. "Muito gente nem sabe que eu estou de volta ao Brasil", ressalta.

Charles não vê a hora de voltar a jogar e está à procura de um clube no Brasil. Ele, inclusive, tem mantido uma rotina pesada de treinos. "Trabalho todo dia pela manhã, seja no campo ou na academia", afirma o jogador.

O volante surgiu na base do Cruzeiro, fez boas temporadas em 2007 e 2008 até ser comprado pelo Lokomotiv, da Rússia. Em 2010 voltou ao Brasil e defendeu Santos, Cruzeiro e Palmeiras. No Peixe, inclusive, fez parte do elenco campeão da Libertadores ao lado de Neymar, Ganso e companhia.