Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.977,32
    +728,28 (+0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.684,74
    -393,96 (-0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,66
    -0,80 (-1,12%)
     
  • OURO

    1.810,50
    +9,00 (+0,50%)
     
  • BTC-USD

    17.156,03
    -69,38 (-0,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    403,54
    -2,71 (-0,67%)
     
  • S&P500

    3.960,78
    -2,73 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    33.699,42
    -82,06 (-0,24%)
     
  • FTSE

    7.476,63
    +4,46 (+0,06%)
     
  • HANG SENG

    19.900,87
    +450,64 (+2,32%)
     
  • NIKKEI

    27.901,01
    +326,58 (+1,18%)
     
  • NASDAQ

    11.664,75
    +19,25 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5258
    +0,0252 (+0,46%)
     

Charles já é rei e será proclamado neste sábado, mas coroação pode demorar meses

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Saudado pela primeira vez por seus súditos nesta sexta-feira (9) ao chegar ao Palácio de Buckingham, em Londres, Charles será proclamado o rei Charles 3º neste sábado. Sua coroação, no entanto, ainda não tem data marcada --e pode acontecer daqui a mais de um ano.

Isso acontece porque há dois ritos diferentes envolvidos no processo de sucessão do trono britânico. O primeiro é a ascensão ao trono em si. O rito marca a passagem do trono para o primeiro na linha de sucessão assim que o soberano anterior morre ou abdica do cargo, e é oficializado assim que possível.

No caso de Charles, isso significa nos próximos dois dias. Nesta sexta, ocorre o encontro do Conselho de Ascensão, formado pela primeira-ministra britânica, Liz Truss, o prefeito de Londres, Sadiq Khan, funcionários públicos, altos comissários dos países da Commonwealth [grupo de 56 países que reúne majoritariamente ex-colônias britânicas], e lideranças religiosas, entre outros --o novo rei não participa da reunião. Os membros do conselho assinam então um documento reconhecendo o soberano.

O conselho se reúne novamente no sábado (10), desta vez com a presença do monarca, que fará uma declaração e, seguindo uma tradição do início do século 18, jurará fidelidade à Igreja da Escócia. Em seguida, ele será proclamado o novo rei diante do povo na sacada do palácio de Saint James.

Ao mesmo tempo em que a proclamação é lida no palácio, cerimônias similares acontecem em Edimburgo, Windsor e York. É tradição que os prefeitos dessas cidades bebam em honra ao novo soberano de um cálice de ouro, segundo o jornal britânico The Guardian.

Já a coroação de Charles pode levar meses devido à preparação necessária. Elizabeth 2ª só foi coroada em junho de 1953, quase um ano e meio depois de ser ascender ao trono, em 1952. A cerimônia foi a primeira do tipo a ser televisionada na história.

Charles será o 40º monarca a ser coroado na Abadia de Westminster, tradição que data de 900 anos. A cerimônia é religiosa anglicana e será conduzida pelo Arcebispo de Canterbury, Justin Welby. É ele quem vai colocar a coroa de santo Eduardo na cabeça de Charles --uma peça de ouro maciço, datada de 1661, que pesa mais de dois quilos. Haverá música, leituras e o ritual de unção do novo monarca. Então Charles lerá o juramento de coroação.

Nem todas as monarquias têm cerimônias de coroação. No regime português, por exemplo, os reis eram aclamados, e não coroados ao assumirem o trono.

A tradição foi iniciada pelo primeiro rei da dinastia de Bragança. Após reconquistar a independência de Portugal junto a Espanha, em 1640, dom João 4º entregou simbolicamente sua coroa a uma imagem de Nossa Senhora da Conceição e afirmou que ela seria a "verdadeira rainha de Portugal". O novo soberano até recebia uma coroa --mas não a colocava na cabeça.