Mercado fechará em 2 h 15 min

Chapecoense supera forte marcação do Operário, vence e se isola na Série B

Futebol Latino
·3 minuto de leitura


Brigando por objetivos diferentes na tabela, Chapecoense e Operário-PR duelaram pela 18ª rodada, na Arena Condá. Em jogo de muita marcação dos paranaenses, o Verdão do Oeste superou e venceu pelo placar mínimo.

A Chapecoense chega aos 36 pontos na ponta da tabela e abre três do Cuiabá, que neste sábado (24) joga fora de casa contra o Sampaio Correia. O Operário permanece com 22 pontos na 11ª posição. Se Vitória e Sampaio Correia ganharem seus jogos, o alvinegro pode perder duas colocações.

PRIMEIRO TEMPO DE ATAQUE DA CHAPE CONTRA DEFESA DO OPERÁRIO

O jogo começou morno. Tanto Chapecoense quanto Operário buscaram o ataque, mas sem grandes sustos aos goleiros. A primeira tentativa de gol, que foi para fora, saiu apenas aos 20 minutos quando Peixoto cruzou e Jefinho cabeceou sem perigo.

O time paranaense fez uma forte marcação barrando os pontos fortes dos líderes da Série B e a Chape não conseguia evoluir diante do sistema defensivo alvinegro. Enquanto o Operário no ataque errou muitos passes que impediam a equipe conseguir algo produtivo.

No decorrer da partida, o Operário parou de investir no ataque e viu a Chapecoense crescer e ocupar os espaços do campo. O Verdão do Oeste ficou com 65% de posse de bola em suas trocas de passes em um duelo de ataque contra defesa. Apesar da superioridade, o intervalo chegou sem gols.

Nos primeiros 45 minutos foram quatro tentativas de gol da Chape, mas todas fora do alvo. O time de Ponta Grossa deu dois arremates, mas nenhuma em direção ao gol.

SEGUNDO TEMPO SUPERIOR DA CHAPECOENSE

Na volta do intervalo, a Chapeceonse voltou decidida a tentar abrir o placar e Aylon quase cumpre o objetivo aos dois minutos. Após cruzamento, o goleiro Thiago Braga falhou no soco e o camisa 18 do Verdão só não marcou porque a bola desviou em Bonfim. Mas quatro minutos mais tarde não teve jeito. Após cruzamento de Aylon, Anselmo Ramon apareceu por trás da zaga e de primeira estufou as redes e marcou seu quinto gol na Série B.

Tentando evitar as dificuldades do primeiro tempo, a Chape quis 'matar' logo o jogo. Foram diversas tentativas no ataque, principalmente em jogadas aéreas, enquanto o Operário não conseguia passar do meio-campo. Nos 10 primeiros minutos, o time de Louzer teve 70% de posse de bola. Pensando em mudar a atitude da equipe paranaense, Matheus Costa fez três alterações de uma vez aos 11 minutos.

O Operário foi para o ataque, mas a Chapecoense não deixou os rivais se aproximarem e fizeram faltas na intermediária em três oportunidades seguidas. As bolas levantadas na área foram as melhores chances da equipe paranaense até os 28 minutos. Depois Douglas Coutinho fez João Ricardo trabalhar em um chute forte e perigoso de fora da área. As mudanças de Matheus Cunha surtiram efeito.

A partir dos 30 minutos, ambas equipes procuraram jogar. O Operário continuava buscou o ataque e a Chape respondia com bolas levantadas na área. Aos 39 minutos, Ezequiel recebeu o segundo amarelo e fez a Chapecoense ficar com um a menos. A partir daí foi ataque contra defesa e o desgaste físico do Verdão.