Mercado fechado

Chantageado, padre finge sequestro, tenta se matar e acaba encontrado pela polícia na Paraíba

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Padre José Gilmar forjou o próprio sequestrou e ficou desaparecido por três dias. (Foto: Divulgação)
Padre José Gilmar forjou o próprio sequestrou e ficou desaparecido por três dias. (Foto: Divulgação)

Após ficar três dias desaparecido e alegar ter sido sequestrado em João Pessoa, na Paraíba, o padre José Gilmar Moreira admitiu à Polícia Civil que mentiu sobre o ocorrido. Ele afirmou que estava sofrendo extorsão e, por isso, criou a narrativa do sequestro que sustentava até então.

As informações são do portal UOL.

O religioso agora será indiciado por falsa comunicação de crime, de acordo com Luciano Soares, superintendente da Polícia Civil. Contudo, a tentativa de extorsão também será investigada.

"O padre prestou depoimento por quatro horas e admitiu que inventou a história porque estava sendo vítima de extorsão. Ele disse que não foi sequestrado, nem mantido amarrado dentro do mato durante os três dias que ficou desaparecido", disse o superintendente ao UOL.

Segundo o UOL, o padre teria admitido que desconhecidos estavam ameaçando expor fatos de sua vida pessoal caso ele não pagasse R$50 mil aos chantageadores.

Leia também

Ainda de acordo com o religioso, o prazo dos chantageadores estava se encerrando, foi quando ele inventou a versão do sequestro, forjou uma mensagem de ajuda para outro religioso e ficou por três dias escondido no litoral sul.

A polícia diz saber o teor dos fatos, mas afirmou que não irá revelá-los para que as investigações sigam o seu rito de praxe.

De acordo com o superintendente da polícia, enquanto estava escondido, o padre tentou tirar a própria vida, mas não conseguiu, algo que encarou como "uma mensagem, uma ajuda de Deus". A partir daí, ele teria ficado orando por dois dias e acabou sendo encontrado.

Durante o sumiço do religioso, foi criada uma campanha nas redes sociais e na imprensa local para que houvesse um força-tarefa em prol da busca do padre.

Quando o religioso foi encontrado, a Arquidiocese da Paraíba afirmou que Gilmar Moreira estava bem, mas pediu respeito ao momento vivido pelo padre.