Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    58.002,10
    -491,08 (-0,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Chanceler troca militar por diplomata no comando da Apex-Brasil

Eliane Oliveira
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA - Duas semanas após tomar posse como ministro das Relações Exteriores, Carlos França fez a segunda mudança em sua equipe. Depois de escolher como secretário-geral o embaixador Fernando Simas Magalhães no lugar de Otávio Brandelli, França decidiu substituir o atual presidente da Agência de Promoção de Exportações (Apex-Brasil), o contra-almirante Sergio Segovia, pelo diplomata Augusto Pestana.

A saída de Segovia, prevista para o próximo mês de maio, foi discutida nesta quinta-feira, em reunião entre ele e o chanceler. Segundo uma fonte do governo, será uma transição suave entre um dirigente e outro do órgão, subordinado ao Itamaraty.

Pestana foi diretor de negócios da Apex na gestão de Segovia e é próximo do chanceler. O perfil do diplomata se adequa ao plano de voo elaborado por Carlos França para a promoção de comércio, a atração de investimentos e o processo de adesão do Brasil à Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Já Sergio Segovia assumiu a Apex em maio de 2019, em um momento de crise. Foi o terceiro presidente nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Antes dele, estiveram no cargo Alex Carreiro e Mário Vilalva, que se desentenderam com dois diretores da agência: Letícia Catelani e Márcio Coimbra. No primeiro dia de trabalho de Segovia, Letícia e Coimbra foram destituídos.