Mercado abrirá em 9 h 57 min
  • BOVESPA

    120.294,68
    +997,55 (+0,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.329,84
    +826,13 (+1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,05
    -0,10 (-0,16%)
     
  • OURO

    1.737,00
    +0,70 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    62.984,30
    -481,84 (-0,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.370,76
    -5,02 (-0,36%)
     
  • S&P500

    4.124,66
    -16,93 (-0,41%)
     
  • DOW JONES

    33.730,89
    +53,62 (+0,16%)
     
  • FTSE

    6.939,58
    +49,09 (+0,71%)
     
  • HANG SENG

    28.606,71
    -294,12 (-1,02%)
     
  • NIKKEI

    29.657,66
    +36,67 (+0,12%)
     
  • NASDAQ

    13.802,00
    +3,25 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7743
    +0,0014 (+0,02%)
     

Com alta nos preços, cesta de Páscoa está 30% mais cara

Redação Finanças
·2 minuto de leitura
Cesta de Páscoa está 30% mais cara. Foto: Divulgação
Cesta de Páscoa está 30% mais cara. Foto: Divulgação
  • Chocolates também tiveram alta de 7%

  • Item com maior aumento foi o arroz, com 60,8%

  • Aumento é quase 5 vezes o da inflação acumulada

Os itens que compõem a cesta de Páscoa tiveram aumento médio de 29,17% em relação a 2021, segundo dados do Instituto Brasileiro da Economia, da FGV (Fundação Getúlio Vargas). Na Páscoa de 2020, a cesta de produtos havia registrado aumento de 0,56%. O feriado é comemorado neste domingo (4).

O maior aumento encontrado foi o arroz, que teve alta de 60,8%. A cebola teve um aumento de 50,9% e a batata-inglesa subiu 27,8%. O bacalhau, prato típico de almoços de Páscoa, ficou 16,2% mais caro. O preço de bombons e chocolates subiu 9,5%.

Leia também:

O aumento é quase 5 vezes o da inflação acumulada entre abril de 2020 e março deste ano (5,74%) segundo o IPC-M (Índice de Preços aos Consumidor – Mercado).

Chocolates mais caros

Um levantamento da Apas (Associação Paulista de Supermercados), mostra que os ovos estão ainda mais caros, com inflação de 7%. Já segundo o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), medido pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o chocolate teve um aumento de 6% nos últimos 12 meses terminados em fevereiro.

Escolher bem onde comprar também pode ajudar a deixar a conta mais leve. O Procon encontrou diferenças ao comparar preços entre ovos, tabletes e caixas de bombons de chocolate das mesmas marcas nesta Páscoa no estado de São Paulo.

A maior diferença de preços encontrada foi num tablete de chocolate. O produto que num estabelecimento custava R$ 9,69, era vendido em outro por R$ 4,99. Diferença de 94,19%, ou R$ 4,70 em valor absoluto.

Entre os ovos de Páscoa, a maior diferença encontrada foi de 50,48%. Num ovo de 225 g, seu preço em um estabelecimento foi de R$ 89,99 e, em outro, R$ 59,80. Em valor absoluto a diferença foi de R$ 30,19.