Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.512,19
    -2,76 (-0,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,80
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

Cesta básica volta a crescer em outubro

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Após dois meses em queda, a média dos preços dos produtos da cesta básica voltou a crescer em outubro. A alta foi de 0,5% sobre setembro, segundo o monitoramento Radar Scanntech.

A empresa monitora mais de 30 mil lojas no Brasil, incluindo as 400 maiores redes de supermercados, hipermercados e atacarejos em todas as regiões do país.

Em outubro, a média do valor pago pelos itens da cesta foi de R$ 7,36 contra R$ 7,33, no mês anterior.

Segundo Priscila Ariani, diretora de marketing da Scanntech, a reversão nos preços se deve, principalmente, aos alimentos perecíveis, como pães e queijos.

Eles já vinham de uma alta de 1,1% em setembro, e subiram 1,5%, em outubro.

A queda no preços de itens mais básicos, como leite, arroz, feijão e óleo, não foi suficiente para neutralizar a alta.

Apesar do avanço nos preços, as vendas do setor variaram positivamente em 12,3% na comparação anual.

"A auxílio emergencial, a redução da taxa de desemprego, o auxílio caminhoneiro, todos esses auxílios acabam alavancando as vendas", disse Ariani.