Cesta básica: alimentos sobem 9,22% em São Paulo no ano passado

SÃO PAULO – Os alimentos ficaram 9,22% mais caros em 2012 na capital paulista, com 17 dos 22 produtos analisados apresentando inflação. De acordo com pesquisa realizada pela Fundação Procon-SP, em convênio com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), e divulgada nesta terça-feira (22), o grupo teve a maior variação de preços entre os que compõe a cesta básica.

No geral, o preço da cesta básica de São Paulo subiu 8,64% no ano passado, ficando em R$ 377,26. Um ano antes, o valor necessário para comprar os produtos essenciais era de R$ 247,26. 

A categoria Higiene teve acréscimo de 8,78%, enquanto Limpeza apresentou alta de 3,59%.

Destaques
Dos produtos analisados, a maioria apresentou comportamento inflacionário em 2012, frente aos preços de 2011. Em Alimentos, a principal alta foi encontrada na batata, 62,42% no período. No grupo, ainda apresentaram acréscimo significativo os seguintes produtos: cebola (59,76%), arroz (43,73%), alho (42,18%) e feijão (27,66%).

Por outro lado, as maiores quedas ficaram com carne de 1ª (-11,05%), açúcar (-9,84%), carne de 2ª (-3,83%), água sanitária (-3,13%) e biscoito de maisena (-2,26%).

Nos outros grupos, os destaques de alta ficaram com o sabão em barra (9,64%) e detergente líquido (11,83%), em Limpeza. Já no grupo Higiene, as maiores altas foram do desodorante (12,26%), sabonete (12%), creme dental (7,91%), absorvente (6,25%) e papel higiênico (5,12%).

Preços
De acordo com o Procon-SP, os aumentos ou quedas de preço dos produtos que compõem a cesta básica nem sempre estão atrelados a algum desequilíbrio entre oferta e demanda, motivado por razões internas (quebras de safra, política de preços mínimos aos produtores, conjuntura econômica do país etc.) ou por razões externas (mudanças no cenário internacional, restrições políticas ou sanitárias às importações brasileiras etc.).

Carregando...