Mercado fechará em 4 h 3 min
  • BOVESPA

    119.466,37
    -98,07 (-0,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.832,17
    +432,37 (+0,89%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,13
    -0,50 (-0,76%)
     
  • OURO

    1.814,70
    +30,40 (+1,70%)
     
  • BTC-USD

    56.950,84
    -462,16 (-0,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.474,71
    +3,30 (+0,22%)
     
  • S&P500

    4.181,19
    +13,60 (+0,33%)
     
  • DOW JONES

    34.403,31
    +172,97 (+0,51%)
     
  • FTSE

    7.076,17
    +36,87 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.637,46
    +219,46 (+0,77%)
     
  • NIKKEI

    29.331,37
    +518,77 (+1,80%)
     
  • NASDAQ

    13.550,00
    +59,00 (+0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3604
    -0,0665 (-1,03%)
     

Cesp diz que STJ avaliará pedido de liminar em disputa de R$1,7 bi com União

·2 minuto de leitura
Linhas de transmissão de energia

SÃO PAULO (Reuters) - A elétrica Cesp, controlada pela Votorantim Energia e pela canadense CPPIB, disse que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) agendou para 27 de abril o julgamento de pedido de liminar apresentado pela companhia em meio a uma disputa com a União.

O tribunal vai analisar recurso especial em que a Cesp pleiteia o pagamento imediato pelo governo de 1,7 bilhão de reais, em valores de 2012, apontado por ela como valor incontroverso envolvido em batalha judicial referente à usina de Três Irmãos, segundo comunicado da companhia nesta quinta-feira.

A companhia, que antes pertencia ao governo paulista, iniciou ações contra a União após medidas da então presidente da República Dilma Rousseff para baixar tarifas de energia, em 2012.

Na época, a Cesp recusou-se a renovar as concessões de suas hidrelétricas antecipadamente sob modelo proposto pelo governo, que previa valores menores pela energia produzida.

A empresa, no entanto, teria direito a indenização por investimentos feitos nos ativos e vistos como ainda não amortizados na época.

A União definiu um valor de indenização de 1,7 bilhão de reais à Cesp ao final do contrato de Três Irmãos, mas a elétrica foi a Justiça, alegando que a soma não contemplava indenizações referentes às eclusas da usina e instalações do chamado Canal Pereira Barreto.

A companhia tem tentado desde então obter na Justiça ao menos o pagamento desse valor, enquanto discute também uma possível compensação maior.

Em outro processo sobre o caso, em primeira instância, um laudo pericial indicou valor de 4,7 bilhões de reais devido à companhia a título de indenização. Mas essa ação, que aguarda decisão do juiz responsável, tem sido atrasada por diversos fatores, incluindo o falecimento do perito que fez a avaliação, segundo informações da Cesp em seu último balanço.

(Por Luciano Costa)