Mercado fechará em 4 h 11 min

CES 2020 | Lora diCarlo retorna após banimento e anuncia dois produtos eróticos

Rafael Arbulu

Depois de ser banida da feira em 2019 por suposta violação das regras da organização, a fabricante de produtos eróticos de alta tecnologia Lora diCarlo não só voltou à Consumer Electronic Show (CES) 2020 em grande estilo, trazendo dois novos produtos, como também conquistou um prêmio de inovação por parte da CTA, entidade responsável pela realização do evento.

Neste ano, a empresa apresentou o Onda e o Baci, dois massageadores robóticos. O primeiro é definido pela Lora diCarlo como um “massageador do ponto G”, enquanto o segundo é referido como um “estimulante robótico clitoral”. Basicamente, são ferramentas destinadas ao prazer sexual feminino.

Da esquerda para a direita: Baci, Osé e Onda, os massageadores sexuais femininos fabricados pela Lora DiCarlo (Imagem: Divulgação/Lora DiCarlo)

A empresa também aproveitou a sua presença na CES 2020 para compartilhar alguns números de interesse: no ano passado, ela desenvolveu o Osé, um massageador da mesma linha do Onda e do Baci, com alguns recursos a mais (os dois produtos mostrados neste ano são vistos como versões reduzidas do Osé). As pré-vendas deste primeiro produto foram iniciadas em novembro de 2019, já tendo obtido US$ 3 milhões (R$ 12 milhões) em vendas — considerando que cada unidade do Osé sai por US$ 290 (R$ 1,180), cerca de 10 mil unidades já foram adquiridas, sendo que a empresa começará a entrega delas em fevereiro.

Enquanto isso, o Onda e o Baci têm lançamento específico para algum momento em março.

Do lixo ao luxo

A mera presença da Lora DiCarlo na CES 2020 já é um fato notável por conta própria: como dissemos, a empresa havia sido banida da edição da feira do ano passado, mas a história por trás disso tem alguns detalhes a mais.

Veja bem, tal qual este ano, a Lora DiCarlo também ganhou prêmio de destaque por parte da organização da CES em 2019 — especificamente, destaque na categoria de produtos robóticos. Ganhar um prêmio da organização da CES é algo simbólico, porém ainda é uma honraria bastante desejada por qualquer companhia, independente do tamanho. Prova disso é a comunicação veiculada por multinacionais cada vez que elas asseguram algo do tipo.

Com a Lora DiCarlo, não foi diferente: a empresa veiculou publicações nas redes sociais, além de press releases contando sobre a novidade, planejando bons ventos em sua participação na feira (os prêmios são entregues e anunciados antes da realização do evento em si).

O problema: pouco depois do prêmio anunciado, a CTA, que gerencia e organiza a CES, não apenas revogou a honraria dada à empresa, mas também a impediu de participar da feira por completo, alegando que produtos eróticos configuram uma violação do conjunto de regras estabelecidas.

Felizmente, em pouco mais de um ano, o mercado como um todo passou a ser mais receptivo a produtos derivados de temas controversos: além de produtos eróticos, a indústria da maconha também se beneficiou das recentes liberações para consumo recreativo e medicinal e desenvolveu vários produtos de alta tecnologia para este fim, inclusive rendendo prêmios na feira.

Com isso, a Lora DiCarlo conseguiu não apenas ganhar um prêmio para a edição 2020 da CES, como também está no evento, com estande dedicado para falar de toda a tecnologia empregada em seus produtos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: