Mercado fechado

CES 2020: Ford quer oferecer soluções de trânsito para cidades

feedback@motor1.com (Nicolas Tavares)
Ford City Insights

Tecnologia permite identificar problemas de trânsito nas cidades e onde a Ford pode colocar seu futuro transporte público autônomo

O futuro da Ford irá além de produzir carros, passando também a oferecer serviços de mobilidade. Ao menos é o que acredita Bill Ford, descendente de Henry Ford e que ocupa o cargo de chairman executivo da marca. Uma das formas de atingir este objetivo será oferecer às cidades uma plataforma que identifica os problemas no trânsito local e colocar à disposição veículos autônomos que ajudem a melhorar o fluxo e evitar acidentes.

CES 2020:

Batizado como "City:One", o projeto está sendo testado em sete cidades nos EUA. A primeira escolhida foi Ann Arbor (perto de Detroit), onde a Ford começou a analisar o trânsito com a plataforma "City Insights", identificando os problemas na região do centro da cidade. O sistema encontra os cruzamentos de maior congestionamento, pontos onde há mais acidentes e onde está faltando uma opção de transporte público. O algorítimo consegue até mesmo encontrar os locais onde os motoristas freiam de forma mais brusca e a razão disso acontecer.

Ford City Insights

Com os dados na mão, a Ford explica que estas soluções trabalham diretamente com seus esforços de automação de veículos, como o sistema de inteligência artificial da empresa Argo AI ou a tecnologia C-V2X de comunicação entre os veículos. Ambos serão usados no futuro serviço comercial de transporte público, com veículos autônomos desenvolvidos para esta finalidade ou com a ajuda de empresas que já têm parceria com a Ford, como a Spin, que tem diversas soluções de micromobilidade como patinetes elétricos.

A fabricante usa as informações colhidas para descobrir onde há uma deficiência de transporte alternativo, como regiões residenciais, e sugere soluções. O mesmo é feito nas regiões com muitos congestionamentos, encontrando estacionamentos e colocando transportes a partir deles, propondo que os motoristas evitem as regiões de trânsito mais intenso.

O projeto em Ann Arbor é o primeiro exemplo de como a Ford vê um futuro além de produzir carros, algo que começa a fazer sentido. Após os testes na cidade em Michigan, a fabricante irá utilizar estas ferramentas em mais seis cidades nos Estados Unidos, incluindo Austin, Detroit, Indianapolis e Pittsburgh.