Mercado abrirá em 6 h 30 min

CES 2020 | "Band-aid" tech promete ajudar quem tem ejaculação precoce

Nathan Vieira

Nesta edição da CES, várias empresas aproveitaram para mostrar ideias e novidades ao público. No entanto, algumas se destacam pela excentricidade, como é o caso de um curativo estilo "Band-aid" que promete ajudar os homens que têm ejaculação precoce. Basicamente, o adesivo é conectado a eletrodos projetados para enviar leves impulsos elétricos.

Tradicionalmente, eletrodos como esse são usados ​​para aliviar a dor muscular, mas essa novidade foi projetada para estimular e confundir o sistema nervoso com um objetivo em mente: atrasar a ejaculação masculina durante a relação sexual e corrigir uma condição que afeta até 30% dos homens, cujos tratamentos atuais variam de técnicas comportamentais a anestesia e terapia medicamentosa. 

O band-aid é conectado a eletrodos projetados para enviar leves impulsos elétricos (Foto: CNET)

"É a disfunção sexual número um do sexo masculino, mas muitos homens não querem falar sobre isso", explica Jeff Bennett, o CEO e fundador da Morari, a empresa por trás do "Band-aid". Um diferencial da invenção é que ela foi projetada para ser controlada por um parceiro sexual, usando o que Bennett chama de dispositivo de ativação de parceiro. 

"Um aplicativo em um telefone ou Fitbit permitirá que o parceiro ligue ou desligue o dispositivo", aponta o CEO. O dispositivo também deve contar com um controle de volume que permitirá que os parceiros ajustem a sensibilidade. 

Bennett conta que fez testes com cinco homens diferentes que sofriam de ejaculação precoce. Por mais desengonçado que aparente ser, o adesivo é colado no períneo, região próxima à próstata. Todos os cinco, ele diz, informaram resultados positivos. Por enquanto, trata-se de um dispositivo de uso único, mas uma versão multiuso  poderia ser possível no futuro, especula ele, embora os materiais precisem ser mais resistentes — o que, logicamente, demandaria mais tempo de pesquisa.

O band-aid anunciado durante a CES 2020 foi projetado para estimular e confundir o sistema nervoso (Foto: CNET)

Com aprovações pendentes, produção e outros obstáculos em potencial, Bennett espera ter o dispositivo no mercado em meados de 2021. Ele espera que o "Band-aid" seja vendido por aproximadamente US$ 25 (o que equivale a cerca de R$ 100, desconsiderando impostos). "Pesquisas anteriores sugeriram que os homens estão dispostos a fazer o que for preciso e o preço não é um problema. Estamos pensando que um preço de US $ 25 é razoável", conta o executivo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: