Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,31 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -908,97 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,83
    -0,72 (-0,84%)
     
  • OURO

    1.836,10
    -6,50 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    35.427,74
    -3.494,51 (-8,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,02 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -430,00 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

Certificação florestal expande participação de produtores menores

·1 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O programa de certificação florestal FSC (Forest Stewardship Council), que completa 20 anos nesta semana, vai chegar a 2021 com cerca de 8 milhões de hectares certificados no país e um crescimento na participação de pequenos e médios produtores entrando no sistema.

Nos últimos dez anos, o aumento da área total certificada foi de 24%, enquanto o número de certificados avançou 84%, o que indica um incremento de áreas menores.

Segundo Daniela Vilela, diretora-executiva do FSC Brasil, houve também uma diversificação além da madeira, como a certificação da produção de castanha e açaí.

Apesar da deterioração da reputação do Brasil na área ambiental, Vilela afirma ter visto uma pressão positiva de importadores europeus por madeira com origem.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos