Mercado fechado
  • BOVESPA

    130.207,96
    +766,93 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.029,54
    -256,92 (-0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,44
    +0,56 (+0,79%)
     
  • OURO

    1.863,50
    -2,40 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    40.285,66
    +1.278,66 (+3,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.008,09
    +39,25 (+4,05%)
     
  • S&P500

    4.255,15
    +7,71 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.393,75
    -85,85 (-0,25%)
     
  • FTSE

    7.146,68
    +12,62 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    29.401,05
    +239,25 (+0,82%)
     
  • NASDAQ

    14.156,75
    +32,00 (+0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1439
    +0,0124 (+0,20%)
     

Cepea vê 'maior interesse' de vendedores de soja após máximas em Chicago

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - Vendedores de soja do Brasil tiveram maior interesse em negociar o produto, após os contratos futuros da Bolsa de Chicago terem atingido os maiores patamares nominais desde setembro de 2012, chegando a operar em 16,605 dólares/bushel na última quarta-feira, avaliou o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

"Esse cenário elevou a movimentação nos portos brasileiros. E vendedores nacionais tiveram maior interesse em comercializar a soja em detrimento do milho, fundamentados na safra recorde da oleaginosa e nas expectativas de maior estoque de passagem (no Brasil)", disse o Cepea.

A avaliação foi feita após a consultoria Datagro mostrar na véspera um atraso nas vendas da próxima e da safra atual, na comparação com o mesmo período de 2020. A empresa de análises observou que produtores esperam valores ainda mais altos para vender mais, diante de expectativas sobre como será desenvolvida a safra nos Estados Unidos.

(Por Roberto Samora)