Mercado fechará em 2 h 32 min
  • BOVESPA

    125.711,53
    +1.099,50 (+0,88%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.199,76
    +289,23 (+0,57%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,46
    +0,81 (+1,13%)
     
  • OURO

    1.800,40
    +0,60 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    40.110,43
    +2.425,11 (+6,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    941,67
    +11,74 (+1,26%)
     
  • S&P500

    4.394,07
    -7,39 (-0,17%)
     
  • DOW JONES

    34.930,40
    -128,12 (-0,37%)
     
  • FTSE

    7.016,63
    +20,55 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    14.961,25
    +13,50 (+0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1113
    +0,0029 (+0,05%)
     

Cepal eleva para 5,2% estimativa para crescimento econômico da América Latina em 2021

·2 minuto de leitura
Centro do Rio de Janeiro

Por Fabán Andrés Cambero

SANTIAGO (Reuters) - A economia da América Latine e Caribe crescerá 5,2% em 2021, embora persista a incerteza sobre o desempenho de cada país devido aos avanços desiguais de seus planos de vacinação contra a Covid-19 e à maneira de enfrentar problemas estruturais, disse a Cepal nesta quinta-feira.

Após contração de 6,8% em 2020, a Comissão Econômica para América Latina e Caribe melhorou sua visão para este ano depois de projetar em dezembro avanço de 3,7%, mas esclareceu que o ganho de ritmo esperado não será suficiente para recuperar o nível registrado em 2019.

"A dinâmica e a persistência do crescimento de 2021 e à frente estão sujeitas às incertezas derivadas dos avanços desiguais nos processos de vacinação e da capacidade dos países de reverter problemas estruturais por trás da trajetória fraca de crescimento que exibiam antes da pandemia", disse a Cepal em relatório.

A comissão explicou ainda que a projeção reflete o efeito-base de comparação depois da queda em 2020, a maior desde 1900, e o efeito positivo do crescimento mundial maior devido às reaberturas econômicas e ao aumento dos preços das matérias-primas.

"Os problemas estruturais que limitavam o crescimento da região antes da pandemia se intensificaram e repercutirão negativamente na recuperação da atividade econômica e nos mercados de trabalho depois da retomada do crescimento em 2021 e 2022", disse.

O organismo ainda destacou a mudança das atividades presenciais para digitais e um crescimento explosivo da oferta de comércio eletrônico. Entretanto, explicou que a digitalização foi dirigida a uso de tecnologias já maduras, como banda larga, e não a aplicações avançadas como internet das coisas ou inteligência artificial.

Por sua vez, as exportações regionais aumentariam 22% em 2021, com alta de 16% nos preços e de 6% no volume. As importações se recuperariam 18%, com alta de 10% nos preços de 8% no volume.

Panamá, Peru e Chile deverão ter os melhores desempenhos do ano, com expansões de 12%, 9,5% e 8%, respectivamente. O Brasil deve crescer 4,5%, enquanto a expectativa para o México é de expansão de 5,8%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos