Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.689,52
    -726,84 (-1,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.282,75
    -226,75 (-1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

CEOs de bancos europeus pedem integração mais rápida de mercados

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Executivos do alto escalão de bancos europeus pediram que autoridades superem os impasses que têm bloqueado o projeto da União Europeia para um mercado bancário e de capitais unificado e afetado sua capacidade de competir com os rivais de Wall Street.

O CEO do Deutsche Bank, Christian Sewing, disse que os grandes bancos da Europa se tornaram mais seguros depois da crise financeira, mas que o bloco não conseguiu criar condições para a consolidação e expansão do setor. Seus comentários foram ecoados pela presidente do conselho do Banco Santander, Ana Botín, e outros executivos, que pediram a conclusão urgente da união bancária da Europa, bem como um mercado de capitais único.

“Foi certo e continua certo regular os grandes bancos com particular cuidado”, disse Sewing na cúpula do setor bancário organizada pelo jornal Handelsblatt na quarta-feira. “Mas temos feito muito na Europa para evitar que os bancos cresçam. É um caminho questionável.”

Bancos europeus têm perdido terreno para concorrentes dos EUA em meio à dificuldade da região para chegar a um acordo sobre medidas rápidas e eficazes para promover o sistema bancário após a crise financeira. Embora o bloco tenha unificado a supervisão bancária e acertado maneiras de lidar em conjunto com bancos falidos, não foi capaz de criar um sistema comum de seguro de depósitos que facilitaria as fusões internacionais, ou mesmo um mercado de capitais único para incentivar mais investimentos privados.

O valor de mercado dos maiores bancos da Europa, incluindo o Deutsche Bank, é uma fração dos rivais nos Estados Unidos, e a ação do banco alemão em particular é negociada cerca de 88% abaixo de seu pico pouco antes da crise financeira. Ao mesmo tempo, papéis de bancos como JPMorgan Chase e Goldman Sachs atingiram recordes.

“O que devemos fazer em vista dessas diferenças de ‘valuation’?”, perguntou Sewing em seu discurso na cúpula do Handelsblatt. “Precisamos fortalecer o mercado interno da Europa o mais rápido possível, especialmente para serviços. Isso inclui uma união bancária e dos mercados de capitais.”

Botín, falando na mesma conferência, disse que é “muito importante haver mais integração europeia, e a união dos mercados de capitais seria algo no qual poderíamos trabalhar mais rapidamente”. O CEO do Commerzbank, Manfred Knof, exortou o próximo governo da Alemanha a “tomar medidas para fortalecer o mercado de capitais europeu”.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos