Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.591,41
    -172,20 (-0,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.435,45
    +140,62 (+0,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,84
    +2,27 (+2,07%)
     
  • OURO

    1.821,40
    -3,40 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    20.322,16
    -574,67 (-2,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    441,05
    -9,01 (-2,00%)
     
  • S&P500

    3.821,55
    -78,56 (-2,01%)
     
  • DOW JONES

    30.946,99
    -491,27 (-1,56%)
     
  • FTSE

    7.323,41
    +65,09 (+0,90%)
     
  • HANG SENG

    22.418,97
    +189,45 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    27.049,47
    +178,20 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    11.680,50
    -360,00 (-2,99%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5413
    -0,0028 (-0,05%)
     

CEO do "Google russo" Yandex abandona cargo após novas sanções da União Europeia

A Yandex, serviço russo de buscas na internet, divulgou nessa sexta-feira que o CEO Arkady Volozh entregou o cargo e também deixou o conselho de diretores da organização. A saída do executivo da posição ocorre após seu nome ter sido incluso na lista de sanções da União Europeia para entidades e indivíduos russos.

Volozh foi incluso na lista de sanções da União Europeia por acusações do bloco de que ele estaria ajudando a investida russa na Ucrânia, seja de forma material ou financeira. O executivo afirma que a decisão dos países foi equivocada, mas para evitar problemas para a Yandex, que não está na enumeração de bloqueios, preferiu deixar o cargo.

Em comunicado oficial sobre a saída de Volozh, obtido pela Reuters, a Yandex afirma que não acredita que a situação afetará suas operações, posição financeira ou relacionamentos com seus parceiros de negócio — embora pouco após a notícia, as ações da organização listadas na bolsa de Moscou tenham caído 6%, sendo negociadas por cerca de US$ 23,4 (R$ 111,84, na conversão atual) no começo da tarde de sexta (3).

União Europeia segue aplicando sanções na Rússia

Volozh foi adicionado a lista de sanções contra indivíduos da Rússia nessa sexta-feira (3), junto de outros habitantes da Rússia que já estavam sofrendo bloqueios por parte dos EUA, mas não da União Europeia — agora deixando às duas enumerações políticas semelhantes, segundo a Reuters.

Além disso, ainda nas sanções dessa sexta, a União Europeia também definiu que irá paralisar a aquisição de petróleo russo vindo do mar (dois terços do conteúdo exportado pelo país) em até 6 meses, e dois meses após essa situação banirá a compra de qualquer produto refinado pela nação — um impacto significante para o orçamento do território governado por Vladimir Putin, que em 2021 obteve cerca de US$ 51 bilhões (R$ 243,7 bilhões) só em óleo bruto exportado para o bloco econômico.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos