Mercado fechado

CEO do Google sugere demissões e se preocupa com investigações

CEO do Google sugere demissões e se preocupa com investigações (Foto: Markus Schreiber)
CEO do Google sugere demissões e se preocupa com investigações (Foto: Markus Schreiber)
  • O Google planeja aumentar sua eficiência em 20%;

  • Nesse cenário, o chefe executivo da companhia não descartou demissões;

  • O governo Biden está se preparando para processar o Google por suposto comportamento anticompetitivo.

O CEO do Google, Sundar Pichai, alertou para a possibilidade de efetuar demissões na empresa. Uma vez que a gigante da tecnologia busca aumentar sua eficiência em 20%, evitando fortes ventos econômicos e investigações antitruste.

“O desempenho macroeconômico está correlacionado aos gastos com anúncios, gastos do consumidor e assim por diante”, disse Pichai em uma conferência de tecnologia em Los Angeles nesta terça-feira (7)

“Queremos ter certeza de que, como empresa, quando você tem menos recursos do que antes, está priorizando todas as coisas certas para trabalhar e seus funcionários são realmente produtivos para que possam realmente ter impacto nas coisas em que estão trabalhando. é nisso que estamos gastando nosso tempo”, disse Pichai.

O presidente-executivo também admitiu estar preocupado com as investigações antitruste do governo dos EUA. Essas investigações buscam fiscalizar empresas a fim de evitar monopólios injustificados.

No mês passado, a Bloomberg News informou que o governo Biden está se preparando para processar o Google por suposto comportamento anticompetitivo no mercado de publicidade digital.

“Eu acordo e me preocupo com todas as coisas que estão acontecendo?” disse Pichai.

"Absolutamente."

Em 2020, o Departamento de Justiça processou o Google por supostamente violar as leis antitruste ao consolidar seu domínio sobre o mercado de mecanismos de busca.

Funcionários do Google foram ameaçados

No mês passado, o site de notícias Insider informou que executivos do departamento de vendas do Google Cloud emitiram avisos contundentes aos funcionários de que precisavam acelerar o ritmo. Se os resultados do terceiro trimestre “não melhorarem, [então] haverá sangue nas ruas”, de acordo com uma mensagem transmitida à equipe de vendas.

Os funcionários que trabalham no departamento disseram que a liderança sênior lhes disse que haverá um “exame geral da produtividade de vendas e da produtividade em geral”.

Em julho, Pichai anunciou que a empresa instituiria um congelamento de contratações. Ele circulou um memorando para os funcionários dizendo que “a produtividade como um todo não está onde precisa estar para o número de funcionários que temos”.

Os funcionários disseram ao Insider que estão com medo de demissões depois que a empresa estendeu silenciosamente seu congelamento de contratações no mês passado sem fazer um anúncio.